Mulher que tomou chá emagrecedor de 50 ervas morre em São Paulo

Médica diz que paciente sem nenhum problema de saúde prévio teve hepatite fulminante após o consumo das cápsulas com composto de ervas

atualizado 04/02/2022 19:14

fotografia colorida da enfermeira mara abreuReprodução

Depois de tomar cápsulas de um chá emagrecedor de 50 ervas, a enfermeira Mara Abreu não resistiu ao transplante de fígado, rejeitou o órgão e faleceu. O velório da paciente aconteceu nesta sexta (4/2), em São Paulo.

O caso de Mara ganhou notoriedade após a cirurgiã Liliana Ducatti Lopes contar sobre a situação da paciente nessa quinta (3/2), no Instagram. A enfermeira tomou o medicamento e teve hepatite fulminante, necessitando de um transplante de fígado urgente.

Em entrevista ao G1, Márcia Cristina Oliveira, prima de Mara, contou que ela conseguiu o fígado para o procedimento, mas o organismo rejeitou o órgão. Enquanto esperava por um novo doador, a enfermeira não resistiu.

A médica contou que a paciente era saudável e não fazia uso de remédios. Ao investigar a causa, a cirurgiã do aparelho digestivo foi informada pela família da paciente que ela tinha o hábito de consumir as cápsulas do chá.

“Quando olhamos o rótulo dessa medicação já podemos identificar diversas ervas conhecidas por serem hepatotóxicas, por fazerem mal ao fígado. Dentre elas, a mais comum e mais conhecida é o chá verde. É muito bem descrito na literatura, há vários relatos e papers que mostram casos de hepatite fulminante causada por uso de chá verde”, disse Ducatti no Instagram.

Riscos relacionados a chás e medicamentos

Casos como o da paciente – de pessoas saudáveis que desenvolvem falência aguda do fígado gravíssima, com recomendação de transplante urgente – já foram descritos na literatura médica.

“Sempre que nós recebemos esse paciente, a primeira coisa que a gente faz é investigar a causa. Na grande maioria das vezes é medicamentosa. Alguns medicamentos, como anabolizantes e outras medicações usadas, por exemplo Roacutan. Mas normalmente se faz uso desses medicamentos com acompanhamento médico e exame de sangue para ver como está a saúde do fígado”, explicou a médica no vídeo.

Mais lidas
Últimas notícias