México é 1º país da América do Norte a aprovar uso da vacina Sputnik V

A fórmula russa tem aprovação para uso emergencial em 18 países. O governo da Nicarágua também autorizou o uso do imunizante nesta quarta

atualizado 03/02/2021 9:21

Sputnik VSputnik V/Divulgação

O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, na sigla em inglês) informou, nesta quarta-feira (3/2), que a vacina Sputnik V, fabricada no Distrito Federal, recebeu autorização para uso emergencial no México. O país é o primeiro da América do Norte a aprovar o imunizante no combate à Covid-19.

O registro foi concedido pela Comissão Federal de Proteção contra o Risco Sanitário do México (COFEPRIS) na noite dessa terça-feira (3/2), mesmo dia em que a revista científica The Lancet publicou um estudo com dados que confirmam a eficácia de 91,6% da fórmula desenvolvida pelo Instituto Gamaleya contra o novo coronavírus.

“Saudamos a decisão das autoridades regulatórias do México de registrar a vacina Sputnik V e incluí-la no portfólio nacional de vacinas contra o coronavírus. A parceria entre a Rússia e o México salvará muitas vidas e protegerá a população ao usar uma das melhores vacinas do mundo”, disse Kirill Dmitriev, diretor-geral RDIF, em comunicado.

Nicarágua

O Ministério da Saúde da República da Nicarágua autorizou o uso emergencial da Sputnik V na manhã desta quarta-feira. O país se une a outros cinco da América Latina.

Ao todo, 18 países aprovaram o uso do imunizante. Além do México e da Rússia, a Sputnik V tem autorização para ser usada na Argentina, Bolívia, Argélia, Palestina, Venezuela, Paraguai, Bielo-Rússia, Sérvia, Turcomenistão, Hungria, Emirados Árabes Unidos, Irã, República da Guiné, Tunísia, Armênia e Nicarágua.

0

 

 

Últimas notícias