Hospitais do Reino Unido são acusados de dar “sobras” de vacina para amigos

Pessoas de até 30 anos foram beneficiadas ilegalmente, enquanto o país tenta vacinar o maior número de idosos e vulneráveis até fevereiro

atualizado 25/01/2021 10:04

Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Hospitais do Reino Unido ligados ao Serviço Nacional de Saúde (NHS) estão sendo acusados de distribuir ilegalmente as doses restantes dos frascos de vacina contra a Covid-19 para pessoas fora dos grupos prioritários para evitar desperdícios no fim do dia.

De acordo com o jornal The Telegraph, parentes e amigos das equipes de alguns centros de vacinação são beneficiados quando pessoas convocadas pelo governo para receber o imunizante não comparecem ao local de aplicação. Há relatos de cidadãos com idade entre 30, 40 e 50 anos que receberam doses sem autorização.

Atualmente, o programa de imunização do Reino Unido prevê que apenas os grupos considerados mais vulneráveis – residentes em lares de idosos e seus cuidadores; pessoas com 80 anos ou mais e assistentes sociais e de saúde da linha de frente; idosos com idade entre 70 e 79 anos – recebam as vacinas desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech e Oxford/AstraZeneca até 15 de fevereiro.

A vacinação com a fórmula da Pfizer exige requisitos rígidos de armazenamento. Ela deve ser mantida congelada em temperatura entre -70ºC e deve ser usada dentro de alguns dias depois do descongelamento e horas após ser removida da geladeira. Ou seja, todo o conteúdo preparado para uso deve ser utilizado até o fim do dia.

0

As acusações levaram a diretoria do NHS a pedir medidas disciplinares contra os centros que violam a política nacional e operam com uma “lista de familiares e amigos”.

Mais de 6,8 milhões de britânicos receberam ao menos uma dose da vacina desde o início do programa de imunização no país. De acordo com o secretário de Estado de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, três quartos dos idosos com mais de 80 anos foram imunizados.

 

 

Mais lidas
Últimas notícias