Em cerimônia, Fiocruz ratifica a eficácia da vacina AstraZeneca

Fundação também anunciou que, já nas próximas semanas, começará a produção da vacina em solo brasileiro

atualizado 27/02/2021 17:16

fiocruzDivulgação/Fiocruz

Rio de Janeiro – Em cerimônia de recepção dos dois milhões de doses da vacina da Universidade de Oxford/Astrazeneca, desenvolvida em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e comprada do Instituto Serum, na tarde deste sábado (23/1), no Campus de Manguinhos, zona norte do Rio de Janeiro, representantes da Fiocruz ratificaram a eficácia da vacina.

“Essa vacina tem 70% de eficácia contra a Covid-19 e 100% contra hospitalização e agravamento da doença. Já na primeira dose, em 22 dias já temos proteção da doença. Com a dose de reforço, três meses depois, essa proteção é conferida e aumenta para 80%”, explicou Sue Ann Costa Clemens, coordenadora de ensaios clínicos da Fiocruz.

A Fundação também anunciou que, já nas próximas semanas, começará a produção da vacina em solo brasileiro. A previsão é já contar com essas doses em março.

“Está prevista para iniciar nas próximas semanas a produção aqui, nestas instalações da Biomanguinhos, de cerca de 200 milhões de doses da vacina. Uma vacina de eficácia muito boa e que trará muita esperança para o povo brasileiro”, disse Mauricio Zuma, diretor da Biomanguinhos/Fiocruz.

A distribuição

Segundo o Ministério da Saúde, o primeiro estado a receber a vacina será o Rio de Janeiro, com 185 mil doses (previsão às 20h), seguido por Ceará com 72.500 doses (às 22h15) e, em terceiro, o Amazonas com 132.500 (às 23h35). A partir de 1h deste domingo (24/1), os outros 23 estados e Distrito Federal darão sequência a ordem dos estados que irão receber o imunizante. O estado que receberá a maior quantidade de doses é São Paulo, com 501.960.

O critério adotado pelo Ministério, que faz parte do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, é quantidade populacional e/ou estado crítico da pandemia no estado, como é o caso do Amazonas.

Últimas notícias