Homem fica sem urinar após deixar pilha AA no pênis por 24 horas

Médicos acreditam que problema foi causado pelos materiais tóxicos presentes na bateria. Enxerto de pele teve que ser colocado na uretra

atualizado 26/02/2022 13:01

Pilha AAGetty Images

Um homem de 49 anos de Teerã, no Irã, ficou incapacitado de urinar por meses depois de colocar uma pilha AA no pênis e deixá-la no local por 24 horas. Para resolver o problema, ele teve que passar por uma cirurgia de enxerto de pele.

O caso ocorreu em abril de 2021 e foi registrado por médicos da Universidade Shahid Beheshti, em Teerã, na edição de janeiro da revista científica Urology Case Reports.

O paciente, que teve a identidade preservada, não contou o que o motivou a colocar a pilha em seu pênis. Os médicos sugeriram algumas possíveis razões, incluindo prazer sexual, tentativa de contracepção ou um acidente enquanto estava bêbado.

0

Ele procurou ajuda médica 24 horas depois do ato. Um exame de raio-X feito realizado no pronto-socorro do hospital encontrou a bateria presa na uretra do iraniano. O objeto foi retirado sem a necessidade de cirurgia e logo ele recebeu alta.

Cinco meses depois, no entanto, o paciente retornou se queixando de dor e de uma sensação de queimação ao urinar. Segundo ele, parecia que nunca a bexiga era esvaziada completamente.

Novos exames mostraram danos “graves e progressivos” na uretra do homem, que havia se contraído devido ao acúmulo de tecido cicatricial, bloqueando parcialmente o tubo que transporta a urina e o sêmen através do pênis.

Os médicos acreditam que o problema foi causado pelos materiais tóxicos presentes na bateria. Eles destacaram que, caso a bateria tivesse permanecido no pênis por muito tempo, ela poderia ter causado problemas ainda mais sérios, como disfunção erétil.

O problema foi solucionado depois que os médicos abriram o períneo – área entre o pênis e o ânus – do paciente para alcançar a uretra e colocaram um enxerto de pele para reparar a uretra. A pele do enxerto foi retirada do interior da bochecha e dos lábios do paciente.

Um novo check-up feito seis meses depois mostrou que o iraniano está totalmente recuperado, com o pênis curado e funcionando corretamente.

Mais lidas
Últimas notícias