Estudo sugere que é possível reverter a idade biológica do corpo

Os resultados são preliminares e a pesquisa foi feita com apenas nove pessoas, mas é a primeira vez que cientistas observam o fenômeno

Hero Images/Getty ImagesHero Images/Getty Images

atualizado 11/09/2019 21:06

O processo de envelhecimento pode até ser retardado, mas não existe o que desfaça a ação do tempo no corpo humano. É verdade? Talvez não. Um estudo pequeno e preliminar, com apenas nove “cobaias” humanas, realizado nos Estados Unidos, pode ter descoberto uma forma de girar os ponteiros do relógio biológico no sentido anti-horário.

Tratada com destaque pela revista Nature, uma das publicações científicas mais respeitadas do meio, a pesquisa surpreendeu até os responsáveis da Universidade da Califórnia. Durante um ano, os voluntários tomaram um coquetel de três medicamentos (um hormônio de crescimento e duas medicações contra o diabetes) e, analisando biomarcadores do genoma de cada participante, suas idades biológicas voltaram em 2,5 anos, em média.

“Eu esperava ver uma lentidão do relógio biológico, mas não uma reversão. Me pareceu um tanto futurístico”, contou, à Nature, o geneticista Steve Horvath, que analisou os genes. Também foi observado um rejuvenescimento do sistema imune.

A publicação reforça que os resultados são preliminares, uma vez que não houve grupo de controle (que não tomasse o remédio, para fins de comparação) e são poucos participantes. “Pode ser que exista realmente um efeito, mas os resultados não são sólidos o suficiente”, diz Wolfgang Wagner, biólogo celular da Universidade de Aachen, na Alemanha, entrevistado pela revista.

Segundo Horvath, o efeito persistiu por seis meses depois do final da pesquisa. “Nós seguimos as mudanças em cada indivíduo e o efeito foi muito forte em cada um deles. Por esses fatores, estou otimista”, afirma.

Últimas notícias