Estudo aponta as profissões mais vulneráveis ao coronavírus

Técnicos em saúde bucal, motoristas de ônibus urbanos e rodoviários estão no topo da lista dos mais expostos à Covid-19

atualizado 13/04/2020 11:28

Pixabay

Uma pesquisa feita a partir das 2,5 mil profissões desempenhadas no Brasil mostrou quais são as mais vulneráveis a serem contaminadas pelo novo coronavírus. Segundo levantamento do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), os técnicos em saúde bucal são os que correm maior risco devido à proximidade com os pacientes.

O levantamento foi feito a partir de informações dos ministério da Economia e do Trabalho, associadas ao contexto de trabalho das profissões e às informações sobre a maneira como o novo vírus se dissemina.

As chances de contágio chegam a 100% para os profissionais do setor destacado pelos pesquisadores, que conta com 12.5 mil trabalhadores. Entre os 2,6 milhões de profissionais da área de saúde, o risco está acima de 50%.

O levantamento chamou atenção também para os trabalhadores de serviços essenciais. “A gente não pode ter a execução dessas atividades essenciais sem pensar na segurança desses trabalhadores”, avalia Yuri Lima, pesquisador do Laboratório do Futuro da Coppe/UFRJ.

Os motoristas de ônibus urbanos e rodoviários também estão no topo da lista, com possibilidade de contágio superior a 70%, junto com os professores, caso as aulas não estivessem suspensas na maioria das cidades brasileiras. Os operadores de caixas e vendedores varejistas apresentam, em média, 53% de risco de serem infectados.

“Quando a gente olha para esses dados, a gente percebe que tem uma grande parcela da população que está trabalhando ou que poderia estar trabalhando em risco se tivesse sem essas medidas de distanciamento social”, completa. (Com informações da Agência Brasil)

Últimas notícias