Dia Mundial do Câncer: oito passos para evitar a doença em 2019

Cerca de 10% do casos acontece por fatores genéticos. Os outros 90% estão relacionados a causas ambientais, que podem ser evitadas

atualizado 04/02/2019 11:52

Imagem ilustra hábitos de vida saudáveispenguin_pie/istock

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são esperados 600 mil novos casos da doença até dezembro de 2019. Apesar da quantidade de informação, a multiplicação dos estudos e desenvolvimento de novas drogas, o câncer ainda é responsável por mortes no mundo inteiro — muitas delas, evitáveis.

“Cerca de 5 a 10% dos casos da doença são genéticos. O restante acontece por fatores ambientais, e alguns desses, são evitáveis. Quem nunca fumou, tem bom peso, faz atividade física regular e tem dieta equilibrada possui uma redução de 66% nas chances de ter câncer no futuro”, explica Augusto Portieri, oncologista do Instituto Onco-Vida/Oncoclínicas.

O câncer é uma mutação do DNA que ordena um crescimento desenfreado e desordenado de células anormais. Agressivas, as células se juntam formando tumores e invadem tecidos e órgãos, destruindo o que encontram pela frente. Os cânceres que começam em tecidos epiteliais (pele ou mucosas, por exemplo), são chamados de carcinomas. Os que têm início em tecidos conjuntivos (ossos, músculos ou cartilagem), recebem o nome de sarcoma. A metástase é quando a doença se espalha para outras partes do corpo.

Neste Dia Mundial do Câncer, o Metrópoles selecionou oito mudanças para diminuir os fatores de risco que você pode começar hoje mesmo. Mesmo quem já convive com hábitos ruins consegue reduzir a probabilidade de desenvolver a doença no futuro. “Nunca é tarde para começar a se cuidar. Quanto mais cedo, melhor”, afirma Janaina Jabur, oncologista da Aliança Instituto de Oncologia. Confira:

Pare de fumar
Uma das maneiras mais conhecidas para evitar o desenvolvimento de células cancerígenas em geral é não fumar. Não adianta diminuir o consumo, a indicação é erradicar o cigarro. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o tabagismo a principal causa de morte evitável — pelo menos 70 das 4.720 substâncias tóxicas presentes no produto são cancerígenas.

Segundo a Fundação do Câncer, 90% dos casos de câncer de pulmão acontece por fumar e, dos 10% restantes, um terço corresponde a fumantes passivos. Porém, outras neoplasias como de esôfago, estômago, pâncreas, rim, bexiga, mama e em tumores da região de cabeça e pescoço, como boca, laringe e garganta podem ser resultado do tabagismo.

Diminua o consumo de álcool
A bebida alcoólica também é conhecida pela relação com o câncer. Segundo uma pesquisa da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, a ingestão de álcool danifica o DNA das células-tronco, favorecendo o desenvolvimento da doença. Estudos mais antigos garantem que o etanol, em quaisquer quantidade, pode auxiliar o desenvolvimento de câncer de boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, fígado, intestino e mama, agindo como uma espécie de solvente e ajudando elementos químicos nocivos a entrarem nas células (como quando é associado ao cigarro, por exemplo). Segundo o INCA, quanto maior a dose e o tempo de exposição, maior o risco.  

Controle o peso
Uma das principais epidemias do século 21 é a obesidade. O excesso de peso, tão comum na nossa geração, também tem relação com o câncer. Um estudo da Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a Universidade de Harvard, associou a gordura a vários tipos de câncer, como mama, cólon e reto, útero, vesícula biliar, rim, fígado ovário, próstata, mieloma múltiplo (células plasmáticas da medula óssea), esôfago, pâncreas, estômago e tireóide. Um IMC acima de 22 já é preocupante.

Faça exercícios físicos regularmente
A atividade física é benéfica para o corpo em geral: ajuda a equilibrar níveis de hormônios, fortalece o sistema imunológico, ajuda a manter o peso e o bom funcionamento do corpo, segundo o INCA. Um estudo de 2018 da USP descobriu que 8,6 mil casos de câncer em mulheres e 1,7 mil em homens poderiam ter sido evitados apenas aumentando o tempo de exercícios por semana.

Invista em uma alimentação saudável
Uma dieta balanceada, rica em frutas, vegetais e cereais integrais e pobre em alimentos processados pode prevenir de três a quatro milhões de casos de câncer por ano no mundo, de acordo com o INCA. Alguns alimentos podem, inclusive, ajudar a combater o câncer: suco de laranja, aspargos, ovos, feijão, semente de girassol, tomate, uva, morango, folhas verdes e açafrão são algumas comidas cheias de benefícios para a saúde.

Evite a poluição ambiental
A vida nas grandes cidades, cheias de poluentes no ar, está associada ao desenvolvimento de neoplasias. O problema não é só quanto à queima de combustíveis fósseis: a fumaça de incêndios florestais e poeira de terra também são cancerígenos. Segundo a OMS, há relação com o câncer de pulmão e de bexiga, por exemplo.    

Faça sexo seguro
O uso de preservativos em relações sexuais é fundamental para evitar doenças transmissíveis. Uma delas é o papiloma vírus humano (HPV), um dos principais responsáveis pelo câncer de colo de útero, vulva, pênis e garganta.

Tome vacinas
Algumas doenças que não tem nada a ver com o câncer possuem alto potencial cancerígeno: é o caso da hepatite, por exemplo. Por isso, é importante se manter vacinado para evitar enfermidades que possam evoluir para a neoplasia.

Outro ponto importante é ficar vigilante em relação a mudanças na saúde. O diagnóstico precoce é fundamental para combater a doença.

Últimas notícias