Covid-19: primeira etapa de pesquisa de anticorpos testou 15 mil pessoas

Estudo organizado pela Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, pretende examinar 100 mil brasileiros

atualizado 18/05/2020 22:40

Testagem em massa no DF deve ir até o dia 30 de maioHugo Barreto/Metrópoles

A primeira fase da pesquisa de anticorpos contra o coronavírus organizada pela Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, já testou 15 mil pessoas. O estudo populacional pretende examinar 100 mil pessoas em 133 municípios para entender como a Covid-19 está se espalhando pelo Brasil, bem como a velocidade de propagação da doença.

A coleta é feita em casa por profissionais do Ibope, que criaram um grupo que representa a população brasileira para a amostragem. Além do teste, é feito um questionário sobre a saúde do participante.

“A pesquisa foi contratada pelo Ministério da Saúde para termos informações mais detalhadas sobre a situação de casos, ampliando cada vez mais o conhecimento sobre a doença. Por isso, a importância desta pesquisa”, destacou o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário.

Nos primeiros dias de estudo, os técnicos responsáveis por aplicar os testes tiveram vários problemas — alguns foram até presos ou tiveram os kits apreendidos pelo governo local. Segundo Macário, foi tudo falta de comunicação: o Ministério enviou ofício aos estados e alguns municípios não receberam o aviso sobre a pesquisa.

Esta fase do levantamento acaba nesta terça (19/05) e pretende testar cerca de 33 mil pessoas. Até o momento, as regiões Norte e Nordeste foram as que mais fizeram testes, somando 8.106 exames.

Últimas notícias