Covid-19 pode curar casos de câncer? Entenda a relação entre as doenças

Chefe do Hospital Sírio-Libanês em Brasília explica o que ocorreu no caso do paciente com linfoma que apresentou remissão do tumor

atualizado 10/02/2021 21:10

Melanoma cancer no microscopioPansLaos/GettyImages

O caso clínico de um homem com linfoma que foi curado do câncer após ter sido infectado com o novo coronavírus chamou a atenção da população. Membros do grupo de risco, pacientes oncológicos têm mais chances de desenvolver quadros graves da doença e até morrer devido à infecção pelo Sars-CoV-2, mas no caso do paciente de 61 anos, a Covid-19 foi determinante para que os tumores desaparecessem.

O oncologista Gustavo Fernandes, chefe do Hospital Sírio-Libanês em Brasília, explica que, apesar de o caso parecer inusitado, não é incomum na história da medicina. Infecções virais ou bacterianas podem estimular e “acordar” o sistema imunológico, que, por sua vez, consegue encontrar e destruir tumores. Não é algo que apenas o coronavírus possa proporcionar.

“Quando um tumor cresce, é por conta de uma falha na proteção do corpo – e é mais frequente em idosos, porque ela vai caindo com o passar dos anos. O fato de haver resposta após infecção é algo bem descrito na literatura e pode acontecer com alguns tipos de tumores, como linfoma, melanoma, tumor renal e sarcomas”, conta o médico. “No caso desse paciente, provavelmente a Covid-19 ativou a resposta imunológica e o corpo acabou encontrando o linfoma. É a explicação mais razoável”, ensina.

Segundo o oncologista, um bom exemplo do uso terapêutico dessa capacidade do sistema imune é verificado no tratamento de tumores de bexiga. Usa-se uma injeção da vacina BCG para provocar uma inflamação no órgão e obrigar o sistema imunológico a matar qualquer resto tumoral presente na área. “Usar esses ativos infecciosos não é nenhuma novidade”, diz.

Quando usado em medicamentos, esse tipo de tratamento é chamado de imunoterapia – os médicos que conseguiram dar os maiores passos nessa opção terapêutica receberam, inclusive, o prêmio Nobel de medicina de 2018.

Uma outra hipótese, segundo o oncologista, seria a de que o corpo espontaneamente encontrou uma forma de combater o câncer, e a Covid-19 foi uma mera coincidência. “Tem tanta gente com o vírus, que pode ser que uma delas tenha entrado em remissão enquanto estava infectada. É algo que existe, o sistema imunológico encontrar o tumor sem ser provocado”, conta.

0

Últimas notícias