Covid-19: indústria demorará 4 anos para fabricar vacinas em escala global

Chefe de uma das maiores fábricas de vacinas do mundo diz que companhias não têm condições de produzir mais rápido

atualizado 17/09/2020 12:17

pesquisa vacinaboonchai wedmakawand/Getty Images

Apesar de as primeiras vacinas contra a Covid-19 estarem se desenvolvendo rapidamente para oferecer a imunização nos primeiros meses de 2021, a população mundial vai precisar esperar até quatro anos para receber a injeção.

Segundo Adar Poonawalla, chefe-executivo do Serum Institute, na Índia, a maior fábrica de vacinas do mundo, nenhuma empresa está aumentando a capacidade de produção o suficiente para disponibilizar as doses com a rapidez necessária. Caso seja preciso duas doses da imunização, as companhias terão que colocar no mercado cerca de 15 bilhões de vacinas.

“Todo mundo quer se manter otimista, mas não conheço país ou empresa chegando nem perto do nível necessário de produção no momento. Vai demorar quatro ou cinco anos até todo mundo no planeta receber a vacina”, afirma Poonawalla, em entrevista ao jornal Financial Times.

A empresa dele é capaz de produzir 1,5 bilhão de doses por ano. Ele está arrecadando dinheiro e suprimentos para aumentar ainda mais a capacidade de produção. Mesmo antes da aprovação, a indústria já está fabricando a vacina de Oxford.

Poonawalla não é o único a fazer a previsão: o diretor da Fundação de Pesquisa para Vacinas dos Estados Unidos, Peter Hale, acredita que 75% da população mundial possa estar imunizada até o meio de 2023.

Outra preocupação recorrente é quanto às seringas e ampolas para aplicação da imunização. As indústrias alertam que, se não houver preparação e pedidos antecipados, os produtos podem entrar em falta e impossibilitar a aplicação das doses.

0

Últimas notícias