Coronavírus: Itália ajuda pacientes a darem adeus às famílias

Campanha em hospital italiano leva tablets a pacientes para que eles possam conversar com familiares e dar o último adeus

atualizado 24/03/2020 10:41

Até o término da leitura deste texto é possível que o número de mortos na Itália – que ultrapassa 6 mil até a manhã desta terça-feira (24/03) – seja maior. A situação no país se torna cada vez mais difícil, por conta da pandemia de coronavírus, e os italianos têm sofrido ainda mais por não poder se despedir de seus parentes.

A crise de saúde pública segue em colapso, mesmo com quarentena obrigatória, fechamento total de comércios e um trabalho incessante dos profissionais de saúde. Muitas regiões sofrem sem especialistas, respiradores e materiais de proteção para evitar o contágio pela Covid-19.

Os idosos, maioria entre os mortos, têm pouquíssimas chances de sobreviver e sofrem por não conseguir ver nos minutos finais de suas vidas o rosto de um familiar.

0

 

Devastada pela situação a médica Francesca Cortellaro, do hospital San Carlo Borromeu, em Milão, conta que uma campanha está sendo feita entre os italianos para permitir o último adeus entre familiares e os pacientes terminais.

“Você sabe o que é mais dramático? Observar os pacientes morrendo sozinhos, escutá-los pedir que se despeça seus filhos e netos por eles”, disse ela ao jornal italiano Il Giornale.

Um grupo de militantes do partido democrático de Milão têm liderado a iniciativa, batizada com o nome de “O direito de dizer adeus”.

Com cerca de 20 tablets, eles fazem a conexão entre pacientes no Hospital San Carlo e suas famílias, por meio de videochamadas.

“A ideia de não ser capaz de dizer adeus me machuca mais do que a própria morte e existem outros locais com idosos, hospitais e asilos, onde não há mais a possibilidade de dizer adeus”, lamentou um dos líderes do projeto, o vereador do partido democrático Lorenzo Musotto. Ele pede que mais pessoas possam doar tablets para esses pacientes.

Últimas notícias