Coinfecção de Covid e gripe aumenta risco de morte em 2,4 vezes

Pesquisa mostra que pacientes com a dupla infecção, popularmente conhecida como flurona, estão mais propensos a desenvolver complicações

atualizado 29/03/2022 14:57

Maca com lençol branco e respirador ao ladoHugo Barreto/Metrópoles

As pessoas que são infectadas pelos vírus Sars-CoV-2 – causador da Covid-19 – e influenza ao mesmo tempo e são hospitalizadas correm maior risco de falecerem, segundo mostra um estudo publicado na última sexta-feira (25/3), na revista The Lancet, uma das mais prestigiadas no meio científico.

Com o fim das restrições de distanciamento social e da obrigatoriedade do uso de máscara, cientistas da Universidade de Edimburg, na Escócia, começaram a observar a volta da circulação do vírus causador da gripe, aumentando os casos de coinfecção com o coronavírus, condição popularmente conhecida como “flurona”.

“Há todos os motivos para esperar que a gripe circule mais amplamente à medida que as restrições forem levantadas. Então veremos mais coinfecções com Covid e gripe no próximo ano”, afirmou o principal autor do estudo, Kenneth Baillie, no Twitter.

0

Os pesquisadores avaliaram 6.965 pessoas hospitalizadas com Covid-19 no Reino Unido entre 6 de fevereiro de 2020 e 8 de dezembro de 2021. Deste grupo, 227 também pegaram gripe no período.

De acordo com os dados levantados, os pacientes que sofreram a coinfecção dos vírus Sars-CoV-2 e influenza tinham quatro vezes mais chances de precisar de auxílio mecânico para respirar. O risco de morte para essas pessoas era 2,4 vezes maior em comparação com pacientes diagnosticados apenas com Covid-19.

“Precisamos nos preparar estendendo os testes para pacientes hospitalizados. Se seu paciente tiver Covid, faça o teste de gripe também”, sugeriu o autor do estudo.

Mais lidas
Últimas notícias