Cientistas encontram forte ligação entre câncer de próstata e HPV

A doença sexualmente transmissível é muito comum e pode ser amenizada pela vacinação já existente, afirma o novo estudo

atualizado 15/07/2020 11:15

Vacina para HPVGabriel Jabur/Agência Brasília

Uma revisão de literatura da Universidade de New South Wales, na Austrália, compilou os resultados de 26 estudos anteriores para criar a maior base de evidências e vincular o câncer de próstata ao papilomavírus humano sexualmente transmissível (HPV).

A equipe de especialistas descobriu que 22% do tecido canceroso da próstata continham vestígios de HPV. Já as próstatas benignas, tinham apenas 7%. Desta forma, concluiu que “é altamente provável que haja um papel causal dos HPVs no câncer de próstata”, conforme publicado na revista Infectious Agents and Cancer.

Os autores também notaram que em países onde a mortalidade por câncer do colo do útero era alta, a mortalidade por câncer de próstata também era alta. O inverso também ocorre – regiões onde a mortalidade por câncer do colo do útero é baixa, a mortalidade por câncer de próstata também é baixa.

Os cientistas ressaltaram que a descoberta sugere que a vacina contra o HPV pode ajudar a diminuir o risco de câncer de próstata. “Embora os HPVs sejam apenas um dos muitos patógenos identificados no câncer de próstata, eles são o único patógeno infeccioso que pode ser prevenido pela vacinação”.

No Brasil, a vacinação é administrada gratuitamente na adolescência. Meninos de 11 a 14 anos e meninas entre 9 e 14 anos devem comparecer às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de todo o país, com intervalo de seis meses entre as duas doses obrigatórias.

O que é o HPV

O HPV é o nome de um grupo de vírus que afeta a pele e as membranas úmidas que revestem o corpo. Ele é uma doença sexualmente transmissível e pode causar verrugas, lesões percursoras de câncer ou não se manifestar.

Existem mais de 100 tipos de HPV, sendo que cerca de 30 deles podem afetar a área genital. As infecções genitais por HPV são comuns e altamente contagiosas.

Mais lidas
Últimas notícias