Câncer mortal pode ser identificado durante as refeições. Entenda

O câncer de ovário é uma doença silenciosa e pode ser fatal. Oncologista aponta efeitos no organismo que ajudam no diagnóstico precoce

atualizado 21/11/2022 15:50

Desenho de útero um com focos do câncer no colo do útero - metropoles Science Photo Library/GettyImages

O câncer de ovário causa cerca de 3.921 mortes anualmente no Brasil e é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). A condição é considerada silenciosa por não apresentar sintomas específicos.

Algumas mudanças no estado de saúde devem, entretanto, alertar as mulheres para que investiguem a possibilidade de câncer de ovário. Nesta neoplasia, assim como nas outras, a detecção precoce aumenta as chances de sucesso no tratamento.

De acordo com especialistas, alguns sintomas do câncer de ovário podem ser identificados no momento das refeições. São eles:

  • Sensação de saciedade precoce;
  • Náuseas;
  • Vômito;
  • Edema (inchaço) dos membros inferiores

“Os ovários são estruturas pélvicas, então um tumor ovariano tem espaço para crescer até chegar ao abdômen superior. Quando isso acontece, ele começa a comprimir o intestino, o estômago e os vasos sanguíneos e linfáticos, causando os sintomas apontados”, explica a oncologista Janyara Teixeira de Souza e Silva.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

Outros sintomas

A médica explica que, no geral, os tumores malignos provocam alterações sistêmicas relacionadas à perda de peso não intencional, além de fadiga e astenia, que é a falta de força física.

Ao perceber a persistência desses sintomas, é importante realizar uma consulta médica para investigação. Dessa forma, será possível fazer diagnósticos rápidos e precisos, o que é um diferencial para o tratamento de doenças como o câncer.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias