metropoles.com

Jovem de 20 anos tem dor de cabeça forte e só descobre AVC dias depois

Jovem teve dor de cabeça e incômodo no pescoço dias antes de ser diagnosticada com acidente vascular cerebral (AVC)

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/Facebook/esmae.hodgetts.5
Foto mostra jovem branca de cabelos lisos e castanhos maquiada olhando para a câmera - AVC - Metrópoles
1 de 1 Foto mostra jovem branca de cabelos lisos e castanhos maquiada olhando para a câmera - AVC - Metrópoles - Foto: Reprodução/Facebook/esmae.hodgetts.5

Apesar de o acidente vascular cerebral (AVC) se manifestar, via de regra, de forma intensa e rápida, em alguns casos, é possível que o quadro evolua lentamente ao longo das semanas. Foi o que aconteceu com a técnica de enfermagem Esmae Hodgetts, de 20 anos, que demorou dias até descobrir que estava tendo um derrame.

A jovem inglesa sentiu uma dor de cabeça forte e não imaginou que ela poderia estar conectada a uma dor no pescoço que vinha sentindo desde a semana anterior. Eram todos sinais do AVC.

Com um bom histórico de saúde, Esmae não achava que sua dor de cabeça fosse um sinal de AVC. “Eu não tive dormência no rosto nem problemas nos membros. Não tinha mais de 40 anos, nem doenças que pudessem facilitar o AVC. Nenhum sinal era indicativo”, conta, em entrevista ao Daily Mail.

Ela só decidiu procurar o hospital após ter tido uma dor de cabeça tão intensa que causou uma vertigem forte e a impediu de andar. A jovem esperou até o dia seguinte para ir ao médico e só foi orientada a fazer um exame de imagem no segundo dia reclamando dos sintomas.

O resultado da ressonância magnética surpreendeu até os médicos: Esmae estava tendo um AVC por dissecção da artéria cervical.

0

O que é este tipo de AVC?

A dissecção da artéria cervical acontece quando há um corte na artéria do pescoço, levando a um vazamento de sangue no cérebro. O acúmulo de sangue nesse local limita o fluxo sanguíneo e pode levar ao AVC isquêmico mais clássico.

Segundo artigo do neurologista vascular Irapuá Ferreira Ricarte publicado no site da Sociedade Brasileira do AVC, derrames desse tipo têm outros sinais mais frequentes.

Em geral, segundo Ricarte, eles causam dor de cabeça, no pescoço e na face antes dos sinais mais clássicos do AVC, como dormência em algum membro, dificuldade de fala e pouca coordenação motora.

A maioria desses pequenos cortes nas artérias ocorre após alguma batida violenta na região do pescoço. No caso de Esmae, porém, não foi possível identificar o evento que causou o vazamento.

A jovem não ficou com sequelas depois de se tratar, mas disse que agora cuida o dobro da própria saúde: deixou de tomar qualquer substância com álcool e passou a frequentar regularmente a academia. Além disso, ela deverá tomar medicamentos que afinam o sangue para evitar outros episódios.

0

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSaúde

Você quer ficar por dentro das notícias de saúde mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações