Associação de Cardiologia dá receita para evitar 100 milhões de mortes

Entidade, que congrega cardiologistas dos Estados Unidos, afirma que o caminho é eliminar gordura trans e controlar sal e pressão

Divulgação OMSDivulgação OMS

atualizado 21/06/2019 16:23

A Associação Americana do Coração (AHA, em inglês) divulgou um estudo apontando três mudanças de rotina que podem ajudar a evitar mais de 100 milhões de mortes prematuras causadas por doenças cardiovasculares nos próximos 25 anos.

Segundo a publicação da entidade, reduzir o consumo de sódio, eliminar a gordura trans da alimentação e manter o controle mais rígido da pressão arterial são medidas simples, porém bastante eficazes. Para os pesquisadores, seria necessário uma redução de pelo menos 30% no consumo de sódio, o que já resultaria em 40 milhões de mortes a menos. Em relação aos alimentos com gordura trans, o estudo indica que a eliminação do componente industrial reduziria quase 15 milhões de mortes nos próximos anos.

Para Goodarz Danaei, um dos autores do estudo, criar mecanismos para controlar a pressão arterial das populações ao redor do mundo talvez seja a mudança mais factível, porque já existem remédios e programas de governo disponíveis para isso. Em relação a diminuição do sódio e da gordura trans, ele afirmou que esses objetivos são mais difíceis porque envolvem mudanças específicas de legislação.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) quer eliminar a adição de gordura trans nos alimentos até 2023, medida que já foi aprovada em pelo menos 28 países. Esse componente é responsável por aumentar o risco de doenças cardíacas em 21% e as mortes em 28%, conforme dados da OMS.

Últimas notícias