Argentina atinge 2 mil mortes por Covid-19 às vésperas de flexibilização

O recorde de óbitos em 24h (82) ocorre dois dias antes de decreto de isolamento vencer e autoridades considerarem abrir parte do comércio

atualizado 16/07/2020 12:36

O Ministério da Saúde da Argentina anunciou nessa quarta-feira (15/7) que o país rompeu a barreira dos 2 mil mortos por Covid-19. O recorde de óbitos nas últimas 24h – 82 – ocorre justamente no momento em que o país considera afrouxar as medidas de isolamento.

O atual decreto, que reforçou o confinamento no Argentina desde 20 de março, sobretudo em Buenos Aires, perde validade nesta sexta-feira (17/7).

Diante do crescimento da doença, as autoridades discutem internamente se mantêm a ideia de flexibilizar o confinamento ou recuam da decisão.

Embora os mortos tenham chegado à marca de 2.050 e o número de infectados a 111.160, a confiança das autoridades se baseia no comportamento da doença. De acordo com o jornal argentino El Clarín, o ministro da Saúde da província de Buenos Aires, Daniel Gollán, é favorável a uma abertura razoável devido à quantidade de leitos de UTI livre. “Os pacientes hospitalizados não crescem tanto quanto o número de casos”, afirmou.

Assim como no Brasil, há pressão de vários setores da economia para que o governo libere atividades. Após 120 dias de lockdown, o país sofre com a crise financeira e a tendência era de que o presidente, Alberto Fernández, autorizasse a abertura de parte do comércio, além de espaços públicos.

Últimas notícias