Anvisa alerta: MMS usado para autismo é perigoso e proibido

A substância, utilizada como alvejante na fórmula de alguns produtos de limpeza, está sendo vendida ilegalmente pela internet

atualizado 29/05/2019 10:42

gota de remédioPriscila Zambotto/Getty Images

Desesperados por um tratamento alternativo para crianças autistas, pais e responsáveis estão caindo em mais uma fake news. O MMS (sigla em inglês para Solução Mineral Milagrosa), vendido pela internet de forma ilegal, é perigoso e proibido, alerta a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A substância nada mais é do que dióxido de cloro, um ingrediente usado como alvejante em alguns produtos de limpeza.

O produto não é aprovado como medicamento em nenhum lugar do mundo e traz riscos sérios à saúde, principalmente quando usado em crianças. “O dióxido de cloro é classificado como um produto corrosivo, e sua manipulação exige o uso de equipamentos de proteção individual. É um produto que também traz riscos pela inalação”, explica a agência, em comunicado.

O MMS é comercializado pela internet, e os vendedores sugerem que o produto seja aplicado via retal em crianças, por causa do cheiro forte de cloro. Como é um alvejante, o intestino das pessoas que têm contato com a substância acaba descamando.

A Anvisa afirma que alertou as vigilâncias sanitárias dos estados e municípios para aumentarem a fiscalização sobre o comércio do MMS e solicitou ao Mercado Livre a retirada de anúncios do ar.

Últimas notícias