Além do teste do pezinho: veja exames e vacinas importantes para bebês

Alguns testes devem ser feitos nos primeiros dias de vida para prevenir problemas de saúde. Também é importante iniciar a vacinação

atualizado 07/06/2022 16:57

Foto de um pé de um bebê sendo furadoDivulgação

Quando um bebê nasce, é importante que seja iniciado o acompanhamento de sua saúde logo nos primeiros dias de vida. Isso inclui a realização de exames preventivos e a aplicação de vacinas.

A instrutora do curso Técnico em Enfermagem do Senac Goiás, Christina Souto Cavalcante Costa, que é mestre em Ciências Ambientais e Saúde e doutoranda em Ciências da Saúde, elencou os principais testes para a identificação de possíveis doenças em recém-nascidos e as vacinas necessárias para a prevenção de doenças. Confira:

Teste do Pezinho (feito no 3º ao 5º dia de vida do recém-nascido)

O teste do pezinho, que consiste em furar e apertar o pé do bebê para garantir a saída do sangue, é responsável por avaliar 40 doenças. Ele é feito sempre nas laterais do calcanhar porque há uma grande quantidade de vasos sanguíneos no local, e consequentemente, maior circulação de sangue.

Vale destacar que não é um teste dolorido.

Teste do Coraçãozinho (feito entre 24 e 48 horas de vida)

Serve para medir a oxigenação e verificar se existe alguma alteração cardíaca. É colocado um oxímetro de pulso no tornozelo do bebê. Caso não esteja chegando a quantidade ideal de oxigênio nessa parte do corpo, o médico irá pedir exames mais detalhados.

Teste da Orelhinha (realizado até 30 dias após o nascimento)

Se possível é bom quem seja feito ainda na maternidade. É feito pelo pediatra ou fonoaudiólogo. São colocados fones com estímulos sonoros no ouvido do bebê. A cóclea (porção anterior do labirinto, localizada na região do ouvido interno) do bebê será estimulada e o resultado será medido por um aparelho.

Dependendo das alterações, o médico dará um diagnóstico de uma deficiência auditiva ou não. A cada mil recém-nascidos, seis apresentam alterações auditivas. Lembrando que na fase escolar, a deficiência auditiva atrapalha a alfabetização e a socialização, daí a importância de descobrir o problema o quanto antes.

Teste da Linguinha (realizado nas primeiras 72 horas de vida)

Verifica se a língua sai da boca do bebê, observando se o frênulo (parte debaixo da língua) é preso. Sendo preso, o bebê terá dificuldades para pegar o peito e sugar o suficiente, o que pode levar à desnutrição.

Quando o problema é identificado, há a possibilidade de romper o frênulo.

Teste do Olhinho (feito ainda na maternidade)

Com uma lanterna, o pediatra verifica se o globo ocular tem alguma deformidade ou se apresenta algum tipo de lesão que possa levar à cegueira ou à baixa visão.

Vacinas

A instrutora Christina Souto lembra que é preciso iniciar o cartão de vacinação para que a criança tenha uma vida saudável.

“Ao ser amamentado pela mãe, o bebê recebe uma carga de anticorpos, mas, ao longo do primeiro ano de vida, essa carga vai se perdendo, daí a necessidade da vacinação. A vacina é confiável, passa por vários testes que garantem sua segurança e qualidade”, orienta a profissional.

As principais vacinas para os recém-nascidos são:

  • BCG (aplicada até 30 dias do nascimento): protege contra a tuberculose pulmonar, renal, ganglionar e genital.
  • Hepatite B (aplicada em 3 doses, primeiro na maternidade e depois de acordo com o Programa Nacional de Imunização): protege a pessoa contra lesões no fígado.
  • Hexavalente (aplicada aos 2 meses): protege contra seis doenças: hepatite B, difteria, tétano, coqueluche, haemophilus influenza e a poliomielite.
  • Rotavírus (aplicada aos 2 meses de vida): protege de doenças relacionadas a processos virais.
  • Meningocócica B e ACWY (aplicada aos 3 meses): protege contra as meningites.
Publicidade do parceiro Metrópoles
0

 

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias