Abrafarma: casos de Covid-19 aumentaram 38% na 1ª semana de novembro

Associação afirma que casos positivos de Covid-19 em autotestes segue em alta pela segunda semana seguida. O aumento é o maior desde agosto

atualizado 11/11/2022 12:54

Mulher segura autoteste de covid nas mãos-Metrópoles Getty Images

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) comunicou nesta sexta-feira (11/11) que a curva de casos da Covid-19 segue em alta pela segunda semana seguida.

Segundo a Abrafarma, o número de testes de farmácia com resultado positivo subiu 38% em uma semana. Foram 4.850 diagnósticos entre 31 de outubro e 6 de novembro. Na primeira semana de outubro, foram contabilizados apenas 858 casos positivos, o menor volume desde o início da realização das testagens nas farmácias, em abril de 2020.

Desde a última semana de outubro, os resultados positivos aumentaram significantemente em relação aos meses anteriores, registrando a maior taxa de diagnósticos desde o início de agosto.

“O número de testes positivos aumentou 5,6 vezes em relação ao início do mês passado, o que exige do setor farmacêutico uma revisão imediata dos estoques para atender a demanda”, adverte o CEO da Abrafarma, Sergio Mena Barreto.

Dez estados foram determinantes para aumentar o índice de casos na primeira semana de novembro e representaram avanço acima da média nacional. Entre eles estão o Amazonas (com aumento de 40% em relação à semana anterior), Rio Grande do Norte (34%), Paraíba (31%), Pernambuco (31%), Santa Catarina (30%), Rio de Janeiro (28%) e São Paulo (28%).

De acordo com a Abrafarma, desde a implementação dos autotestes de farmácia, já foram disponibilizados 19.553.112 testes rápidos. Os resultados positivos somaram 4.553.330 (23,29%), contra 14.999.782 negativos (76,71%).

Em uma outra análise, realizada pelo Instituto Todos Pela Saúde (ITpS) com base em 595.534 testes feitos feitos em laboratórios, apenas as faixas etárias abaixo de 19 anos registraram aumento de casos positivos inferiores a 9%. Para todos os adultos a partir de 20 anos, o índice no final do mês de outubro ficou acima de 19%.

A preocupação com uma nova onda de casos devido à subvariante BQ.1 da Ômicron gera novamente o alerta para a prevenção contra a doença. Estar com as doses de reforço da vacina em dia e usar máscara em ambientes com muita circulação de pessoas ainda é essencial para evitar o aumento de casos.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias