5 mil voluntários do Brasil receberam vacina de Oxford sem reações graves

A informação é da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), uma das instituições responsáveis por realizar o estudo de fase 3 no país

atualizado 09/09/2020 11:29

Vacina do coronavírus testada em São PauloGetty Images

O Brasil participa do estudo global da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, com 5 mil voluntários. Muitos receberam a segunda e última dose do imunizante antes mesmo do anúncio da suspensão temporária dos testes nos quatro países envolvidos.

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou por meio de nota, divulgada nessa terça-feira (8/9), que não há registros de “intercorrências graves de saúde” dos voluntários que já receberam a vacina no país.

A instituição responsável por conduzir a fase 3 dos testes no Brasil, afirmou que o estudo “avança como o esperado” e pausas como essa são comuns em estudos clínicos envolvendo fármacos.

Ao fazer uma revisão padrão do estudo, pesquisadores ingleses identificaram um voluntário do Reino Unido que desenvolveu uma doença séria associada ao imunizante.

Na manhã desta quarta-feira (9/9), o secretário de saúde do Reino Unido, Matt Hancock, afirmou que esta não é a primeira vez que os testes da universidade inglesa, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, precisam ser paralisados e que ainda não há data para a retomada deles.

0

Últimas notícias