metropoles.com

Ladrões furtam 13 armas antiaéreas do Arsenal de Guerra do Exército

Crime foi confirmado pelo Comando Militar do Sudeste, que afirmou ter aberto processo administrativo para apurar o furto das armas

atualizado

Compartilhar notícia

Divulgação/Exército Brasileiro
Militares com roupa camuflada lado a lado segurando metralhadoras antiaérea - Metrópoles
1 de 1 Militares com roupa camuflada lado a lado segurando metralhadoras antiaérea - Metrópoles - Foto: Divulgação/Exército Brasileiro

São Paulo – Criminosos ainda não identificados furtaram armas do Arsenal de Guerra do Exército, localizado em Barueri, na Grande São Paulo. O crime teria ocorrido na quarta-feira (11/10) e foi confirmado ao Metrópoles pelo Comando Militar do Sudeste, nesta sexta-feira (13/10).

O comando militar acrescentou ter aberto processo administrativo para investigar o furto.

O Metrópoles apurou que, por causa do desaparecimento de ao menos 13 metralhadoras calibre ponto 50, que podem derrubar aeronaves, e 8 de calibre 7,62, os militares que trabalham no paiol estão proibidos de ir para casa.

0

Além disso, seus familiares estão com dificuldade para conseguir informações sobre os parentes aquartelados, porque os celulares de todos foram apreendidos. Uma metralhadora ponto 50 custa, no Paraguai, cerca de R$ 150 mil. O valor, no mercado clandestino brasileiro, pode dobrar.

“A verdade é que eles [militares] não podem falar muita coisa, não podem dar detalhes de nada. O meu marido informou que lá dentro estão todos bem, mas que não há nenhuma previsão de quando irão poder sair”, disse uma parente, que terá a identidade preservada.

Outra familiar chegou a levar itens alimentícios solicitados por um militar, em pedido feito por meio de mensagens (mas não do celular do soldado). Após entregar os alimentos, porém, foi proibido o contato entre o aquartelado e a familiar.

Sobre o aquartelamento de todos os militares de Barueri, o Comando Militar do Sudeste afirmou que “segue os procedimentos previstos para o caso” e informou que todas as providências administrativas foram tomadas com o objetivo de apurar as circunstâncias do roubo. Um inquérito foi instaurado pela Polícia Militar

A reportagem apurou que a Polícia Civil de Barueri está ciente do crime e dá apoio às investigações.

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou que, até o momento, a Polícia Civil não localizou registros dessa ocorrência.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?

Notificações