metropoles.com

Condenado por roubar banco cursou engenharia enquanto esteve foragido

Alessandro Fernandes foi condenado por um assalto a banco que levou joias e R$ 500 milhões; enquanto foragido, estudava e trabalhava

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/PMSP
preso-foragido-assalto-banco-SP-faculdade
1 de 1 preso-foragido-assalto-banco-SP-faculdade - Foto: Reprodução/PMSP

São Paulo – Condenado a 18 anos e 8 meses por um assalto a banco que levou joias e R$ 550 milhões, Alessandro Fernandes, de 49 anos, foi preso nessa quarta-feira (29/3), na capital paulista, após ser procurado pela polícia por mais de seis anos. Nesse período, mesmo foragido, ele cursou faculdade de engenharia e iniciou o curso de direito.

Fernandes fazia parte do grupo que, em 27 de agosto de 2011, arrombou 161 cofres particulares de uma agência do Itaú, na Avenida Paulista. Menos de um ano depois do assalto ao banco, que foi um dos maiores no Brasil, acabou preso e ficou na cadeia até outubro de 2016.

Na época, um habeas corpus permitiu que Fernandes deixasse o Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Mongaguá, no litoral paulista, para cumprir a pena em regime aberto.

3 imagens
O assalto ao banco levou joias e R$ 550 milhões
O assalto abriu cofres particulares dos clientes do banco
1 de 3

Alessandro Fernandes, de 49 anos, foi preso nessa quarta-feira (29/3)

Reprodução/ Vídeo divulgado pela PM
2 de 3

O assalto ao banco levou joias e R$ 550 milhões

Divulgação
3 de 3

O assalto abriu cofres particulares dos clientes do banco

Divulgação

 

Meses depois, a Justiça determinou que retornasse o regime semiaberto, o que o obrigava a voltar para a prisão. Ele não voltou, e um mandado de prisão foi expedido. Fernandes, então, passou a ser considerado procurado pela polícia.

“Ele tinha consciência de que estava na situação de procurado, mas aguardava os recursos da defesa em órgãos superiores para ver se mudava essa condição de regime semiaberto para aberto. Se os recursos fossem deferidos, estaria no regime aberto tocando a vida dele, assim como ele estava”, disse o advogado Anderson Minichillo.

Segundo o advogado, mesmo foragido seu cliente concluiu a faculdade de engenharia civil. Neste semestre, teria iniciado o curso de direito e estava trabalhando como manobrista de um estacionamento. A defesa afirma ainda que Fernandes não usou documentos falsos.

Fernandes passou por audiência de custódia no Fórum Criminal da Barra Funda, nesta quinta-feira (30/3), e foi levado para o regime semiaberto no Centro de Progressão Penitenciária de Franco da Rocha, na Grande São Paulo.

Prisão

Alessandro Fernandes foi preso após denúncia anônima, na saída de sua casa, na Vila Cachoeirinha, zona norte da capital paulista.

 

 

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?