*

EDITORIAL

Kacio Pacheco/Metrópoles
Kacio Pacheco/Metrópoles

Com dois anos de existência, Metrópoles se tornará um portal

Lilian Tahan
 

Setecentos e trinta é a quantidade de dias que cabe em dois anos. E o que é possível construir nesse período? Nós, que vestimos a camisa do Metrópoles, temos uma ideia. Esse é exatamente o tempo desde a data em que o site entrou no ar até esta sexta-feira, 8 de setembro de 2017. Naquele momento, tínhamos noção do tamanho da responsabilidade diante do ambicioso projeto de criar um novo veículo de comunicação na capital da República. Não sabíamos, no entanto, que em tão pouco prazo superaríamos nossas próprias expectativas.

Em seu segundo aniversário, o Metrópoles chegou aos nove dígitos de audiência. Tem feito média de 3,3 milhões de acessos por dia, o que soma mais de 100 milhões de pageviews em um mês. Volume construído a partir do consumo quase universal de quem vive no DF, mas com robustez evidente de um produto que já não interessa apenas a um público restrito.

Hoje, milhões de leitores que prestigiam nossa página o fazem por meio de seus celulares, muitos dos quais não têm o (61) como código de área. O crescimento, primeiro no âmbito regional e agora em dimensões nacionais, nos colocou ao lado dos grandes portais de notícia do país, precisamente entre os seis maiores, segundo o último levantamento da comScore (*).

Esse resultado vem do esforço conjunto de 132 profissionais que, com um apurado espírito de equipe, ajudaram a assentar cada um dos tijolos do Metrópoles, agora pronto a expandir de site para portal de notícias. E o primeiro passo nesse sentido, é o reforço em áreas de cobertura, a inauguração de novas seções e a parceria com plataformas que querem se hospedar no Metrópoles ou dele se valer como fonte de informação.

Como nosso compromisso é crescer sem perder a identidade de veículo ágil, que opta por uma linguagem acessível e totalmente focada no digital, também depositamos boa parte da energia nos últimos meses em aprimorar ferramentas. Ainda em setembro, o leitor terá acesso ao app do Metrópoles para celulares Android e iOS, o que nos abrirá um canal ainda mais rápido e direto com o público.

Também neste mês de aniversário, vamos inaugurar um estúdio minuciosamente preparado para transmissões ao vivo. Os vídeos, aliás, serão cada vez mais recorrentes em nossas produções. Em outubro, a 104,1 FM passará a sintonizar a Rádio Metrópoles, o que nos dará no DF um braço a mais para alcançarmos o leitor.

E, de conquista em conquista, nós nos inserimos na ponta de um mercado em transe. Nunca o cidadão esteve tão interessado em informação. Assim como nunca foi tão difícil disputar a atenção dos leitores. O perigo mais latente de uma marca que surge nesse contexto é ser engolida pelo senso comum de que na internet flutuam as notícias rasas dos veículos de comunicação.

Nos últimos 24 meses, nos dedicamos, com boa margem de acerto, a apresentar que o meio digital é hoje a plataforma mais completa à disposição do jornalismo. Aqui cabe a notícia em suas mais variadas formas e possibilidades. O que torna um conteúdo fraco, irresponsável e descompromissado definitivamente não é o meio, mas o mensageiro.

A elasticidade do digital nos oportunizou marcar presença forte tanto no jornalismo hard news quanto em debates e temas da maior profundidade. Neste curto período de existência, o Metrópoles conquistou as mais importantes premiações de jornalismo do país em categorias regionais, nacionais e até internacionais.

O maior prêmio, no entanto, é perceber que subimos cada um dos degraus até agora apoiados pelo que há de mais definitivo na avaliação de um veículo: a audiência. Portanto, mais uma vez o nosso muito obrigado, com o compromisso de nos tornarmos a cada minuto mais atraentes, porque neste canal o tempo não para.

(*) Os dados se referem ao ranking de julho para sites de notícia com abrangência nacional, no recorte multiplataforma (acesso por meio de desktops e celulares)

 
 


COMENTE

jornalismoMetrópolesImprensa
comunicar erro à redação

Leia mais: Ponto de vista