*

Rodrigo Cordeiro

Felipe Menezes/Metrópoles
Felipe Menezes/Metrópoles

8º Fórum Mundial da Água é oportunidade única para Brasília

 

O 8º Fórum Mundial da Água – provavelmente o maior evento internacional previsto para ocorrer no Brasil em 2018 – representa uma oportunidade única para o Distrito Federal e o Entorno. Um acontecimento desse porte movimenta muitos setores sociais e econômicos. A expectativa de impacto na economia de Brasília, a cidade-sede, é de R$ 84 milhões, levando-se em conta tudo o que será consumido pelos visitantes durante o período.

A capital deverá receber 7 mil congressistas, representantes de todos os estados brasileiros e de cerca de 100 países. A expectativa é que mais de 33 mil visitantes passem pela Vila Cidadã e pela feira – os dois espaços gratuitos e abertos à população em geral durante o evento. Desse total de 40 mil pessoas, aproximadamente 70% virá de fora de Brasília.

O crescimento do fluxo de turistas em Brasília e a movimentação gerada pelo fórum também demandarão investimentos em treinamento e capacitação de mão de obra, além de contribuir para gerar mais empregos formais. Estima-se a criação de 2.500 novos postos de trabalho, sendo 750 diretos e 1.750 indiretamente ligados ao evento.

A promoção da cidade-sede como destino turístico é uma consequência espontânea. Os participantes tornam-se multiplicadores e formadores de opinião, ajudando a fazer com que mais e mais pessoas de todo o mundo tenham o desejo de visitar as belezas naturais do Distrito Federal e arredores.

Esta será a primeira vez que um país do Hemisfério Sul sediará edição do encontro. O Brasil como um todo estará sob os holofotes da imprensa internacional, não apenas a sua capital.

Além de debater a sustentabilidade no uso dos recursos hídricos, o fórum será ele mesmo um evento sustentável. Para que seja possível consumir o menor volume de água possível, estaremos engajados, com soluções inovadoras e criativas vindas de empresas e organizações formais, startups e outros formatos de negócios ligados à economia criativa.

O fórum não é um acontecimento que se inicia no primeiro dia e termina no último. Muito menos se realiza apenas dentro de suas instalações para um público específico. Sua preparação é mundial e envolve todos os setores ligados direta ou indiretamente com a água. É um evento com atividades abertas, cujo objetivo maior é o engajamento de todos os agentes sociais com o tema.

Discutir em profundidade sobre a água dá à sociedade brasileira a oportunidade de colocar o saneamento ambiental como prioridade na agenda dos gestores públicos.

As questões educativas caminham ao lado da pauta política e dos aspectos ambientais. Ações governamentais efetivas são importantes e devem ser cobradas pela população, mas é hora de olharmos também para os nossos hábitos e identificarmos tudo aquilo que precisamos mudar pessoalmente.

Você saberia nos contar quais foram as mudanças que promoveu em seu dia a dia com a redução da disponibilidade de água?

Se a resposta é sim, você terá, nos canais de comunicação do 8º Fórum Mundial, a plataforma correta para contar como isso vem se refletindo em sua residência ou negócio. É a oportunidade de dividir suas experiências com tantas outras pessoas que ainda não encontraram a melhor forma de colaborar.

Se ainda não começou a pensar sobre o tema, o fórum também é o lugar ideal para conhecer, entender e aprender.

Você bebe água? Aqui é o seu lugar. Curta, comente, compartilhe!

 

*Rodrigo Cordeiro é diretor de Operações do 8º Fórum Mundial da Água

 
 


COMENTE

Brasíliameio ambienteRecursos Hídricosfórum mundial das águas
comunicar erro à redação