*
 

Uma organização de Taguatinga espalhou mais de 100 urnas pela cidade. A ideia é estimular os moradores a registrar os problemas, apontar soluções e enviar propostas para a melhoria da região administrativa. As ideias serão reunidas em uma “carta aberta” que será encaminhada aos governantes em 5 de junho, data de aniversário de Taguatinga.

A iniciativa surgiu em dezembro de 2017, quando o gestor público Juda Judalla, 42 anos, criou um grupo de WhatsApp chamado Defensores de Taguatinga. Depois de muitas conversas, os participantes começaram a se reunir e a pensar em projetos para a melhoria da cidade.

 

“A ideia surgiu da necessidade, das reclamações sobre as praças e parques degradados. Pensamos em juntar tudo e levar aos órgãos competentes”, explica Juda. O grupo cresceu e hoje conta com a participação de 217 moradores. O movimento ganhou o nome de Taguatinga Tem Voz.

Um de seus integrantes é o policial civil aposentado José Luiz Lopes, 54 anos. Ele conta que as urnas ficarão disponíveis até 10 de maio. “Os moradores podem falar de tudo, desde uma lâmpada de poste quebrada – como a em frente à casa da minha mãe, que está estragada há 15 anos – a viadutos e construções com problemas”, afirma.

Assim que as urnas forem recolhidas, os Defensores de Taguatinga vão se dividir. Os subgrupos serão distribuídos por áreas, como educação, saúde, cultura e segurança. Segundo Lopes, os participantes irão se reunir e debater cada uma das denúncias.

“Taguatinga está abandonada e precisamos nos unir para defendê-la. Temos 240 mil moradores, a maior renda por família, a maior geração de impostos para o Governo do Distrito Federal, e nada disso volta para a cidade. Vem ano, sai ano, e as praças, hospitais e postos de saúde continuam abandonados”, reclama.

 

Como participar
Além de depositar críticas e sugestões nas urnas, os moradores podem entrar em contato com o grupo pelo telefone: (61) 98338-7525. Também é possível enviar e-mail para defensoresdetaguatinga@gmail.com.