*

Polícia investiga creche acusada por mães de maus-tratos a crianças

Elas afirmam que o berçário, localizado em Sobradinho, não alimentava corretamente os bebês e a diretora os tratava com agressividade. Escola se defende e diz que “provas foram plantadas”

Facebook/Reprodução
Larissa Rodrigues
 

Jéssica Chagas, 24 anos, trabalha o dia todo e por isso sempre deixou a filha de apenas 1 ano e 3 meses na Creche e Berçário Carinhoso, em Sobradinho. De um mês para cá, entretanto, a mãe decidiu tirá-la da instituição depois de descobrir que ela estaria sendo maltratada. “A gente conseguiu acesso às câmeras e vi que não eram dadas as cinco refeições como o contrato exigia. Os alimentos que davam eram requentados e toda sexta-feira eram apenas as sobras de comida da semana”, denuncia.

Segundo ela, a menina era tratada de forma agressiva e, agora, tem medo de fazer as necessidades fisiológicas. “Ela (a diretora) gritava com as crianças, tanto que minha filha, agora, se assusta facilmente. A criança também tem dificuldades intestinais já que brigavam com ela quando a fralda estava suja”, conta.

 

Outra mãe, que não quis se identificar, confirma as denúncias de Jéssica. “Eu consegui acesso as câmeras de segurança. Foi, então, que eu vi que meu filho, de 3 anos, não era alimentado corretamente. Quando davam alguma coisa no lanche era um suco de saquinho. Meu filho perdeu peso e, no fim, já pedia para não ir à escola. Quando eu perguntava o motivo, ele falava que ficava com fome”.

Vídeos das câmeras de segurança gravados pela mãe mostram ainda crianças sozinhas em salas de aula e, em outro momento, vários meninos e meninas deitados juntos no chão enquanto uma das professoras usa o celular. Uma professora que trabalhou no lugar contou ainda, de forma anônima, que “a diretora era grossa com as crianças e que, às vezes, as pegava pelo braço com força, em meio a gritos”. Segundo ela, uma certa vez, a mulher forçou um dos alunos a comer e a criança teria vomitado.

Revoltada, a mãe registrou uma ocorrência na Delegacia da Criança e do Adolescente na manhã de terça-feira (28/6). Segundo a Polícia Civil, o caso está sendo encaminhado para a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente, que investigará as denúncias. Nos próximos dias, a dona da escola, professoras e outras testemunhas serão chamadas para prestar depoimento.

A reportagem do Metrópoles procurou a escola. A diretora e dona do instituto de ensino, Kelma Marjorie, afirmou que é formada em pedagogia e negou todas as denúncias. De acordo com ela, “as provas foram plantadas por ex-funcionárias demitidas recentemente”.

“Meu filho também estuda aqui e eu não permitiria que ele estivesse aqui e comesse a mesma comida das outras crianças se tudo isso fosse verdade”. Kelma afirmou ainda que a Creche e Berçário Carinhoso é o sonho da vida dela, planejada com muito amor e carinho.