Homem é preso por abusar das enteadas de 7 e 12 anos

Suspeito nega estupro, mas diz que está "arrependido e com vontade de morrer". Investigações foram conduzidas pela 29ª DP (Riacho Fundo)

atualizado 21/09/2017 21:09

istock

Depois de um ano de investigação, a 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo) prendeu Marcos Nabes Neto Paz, 24 anos. Ele é acusado de abusar das duas enteadas desde 2015. As meninas, uma de 7 e outra de 12 anos, são filhas de Rosa Maria da Silva, 37, com quem Marcos é casado há três anos e tem um filho de 2 anos.

De acordo com o delegado-chefe da 29ª DP, Amarildo Fernandes, no ano passado a mãe das meninas procurou a delegacia para registrar ocorrência de estupro de vulnerável. Na época, Rosa viu a criança mais velha com a calcinha suja de sangue e acreditou ser menstruação antecipada. “A menina contou em detalhes que desde 2015 estava sendo abusada pelo padrasto. Ele tocava os seios, o órgão genital e teria até tentado penetrá-la”, detalhou Fernandes.

Fernandes contou que Rosa chegou a duvidar da menina, mas foi aconselhada pelo Conselho Tutelar a tirar a criança de casa, já que o padrasto continuava no local. A garota, que na época tinha 11 anos, mudou-se para a casa dos avós. Mas, em agosto deste ano, retornou à casa da mãe para passar férias.

O pesadelo só estava começando. No dia 6 de agosto, um domingo, Marcos voltou tarde de uma festa e disse a Rosa que tomaria um banho antes de dormir. Ela foi para o quarto e esperou. O marido, contudo, demorou e não havia barulho de chuveiro. Preocupada com as filhas que dormiam na sala, a mulher saiu do quarto e encontrou o marido deitado ao lado das crianças, tocando a mais velha nas partes íntimas.

RAIANE WENTZ/METRÓPOLES
“O interrogatório com Marcos foi longo. No primeiro momento, ele negou os estupros, mas depois de uma hora contou que sentia desejo pela menina de 12 anos”, conta Fernandes

 

Agressões
Revoltado por ter sido flagrado, Marcos agrediu a esposa, que registrou ocorrência na 29ª DP. O Conselho Tutelar sugeriu que Rosa conversasse também com a filha menor, de 7 anos. Para surpresa da mãe, a menina também relatou que sofria abusos desde 2015.

A criança contou que o padrasto passava a mão nas partes íntimas e que a obrigou a fazer sexo oral. As duas meninas foram levadas à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde relataram os abusos em detalhes. Segundo elas, Marcos aproveitava enquanto a mãe dormia ou quando não estava em casa.

Além dos estupros, Marcos tem duas passagens por Lei Maria da Penha e uma por roubo. Ele está cumprindo prisão preventiva e pode pegar mais de 15 anos de reclusão. “Se for confirmado o estupro da mais nova, ele responderá duplamente por estupro continuado de vulnerável, e ainda lesão corporal leve e ameaça à esposa”, concluiu o delegado Fernandes.

Suspeito se diz arrependido
À reportagem, Marcos afirmou que passou a mão na menina mais velha e que acha que estava bêbado quando foi flagrado pela esposa. Afirmou que não se lembra de nenhum dos episódios. Ele também nega qualquer abuso à criança de 7 anos. Ainda assim, diz que sente remorso. “Estou arrependido e com vontade de morrer.”

Mais lidas
Últimas notícias