Ações do Credit Suisse desabam após acionista descartar aporte

Saudi National Bank (SNB), da Arábia Saudita, maior acionista do Credit Suisse, afastou a hipótese de socorro ao banco, que vive grave crise

atualizado 15/03/2023 10:20

Dan Kitwood/Getty Images

As ações do Credit Suisse registram forte queda nesta quarta-feira (15/3), após o principal acionista da instituição financeira, o Saudi National Bank (SNB), da Arábia Saudita, afastar a possibilidade de fazer aportes no banco, que passa por grave crise.

“A resposta é absolutamente não, por muitas razões além da razão mais simples, que é regulatória e estatutária”, afirmou o presidente do SNB, Ammar Al Khudairy, em entrevista à Bloomberg.

Por volta das 7h30 (pelo horário de Brasília), as ações do Credit Suisse tombavam quase 20% na Bolsa de Valores de Zurique, negociadas a 1,8 franco suíço (cerca de R$ 10).

Durante a sessão, os papéis do banco chegaram a recuar para a mínima histórica de 1,72 franco suíço (R$ 9,85).

Na terça-feira (14/3), o Credit Suisse informou ter identificado “fragilidades materiais” em seus relatórios financeiros dos últimos dois anos. Os problemas teriam sido causados por “controles internos” ineficazes.

“Em 31 de dezembro de 2022, o controle interno do grupo sobre os relatórios financeiros não era eficaz e, pelos mesmos motivos, a administração reavaliou e chegou à mesma conclusão em relação a 31 de dezembro de 2021”, informou o banco suíço em comunicado.

Desde o ano passado, o Credit Suisse enfrenta uma grande crise de confiança junto ao mercado. Há rumores de que o banco pode não conseguir honrar seus compromissos financeiros.

Mais lidas
Últimas notícias