Zelensky se encontra com presidente da Câmara dos EUA em Kiev

Líder norte-americana se reuniu com o presidente ucraniano e declarou "todo apoio necessário para acabar com a guerra"

atualizado 01/05/2022 14:30

Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky recebe a presidente da Câmara dos Estados Unidos em KievUkrainian Presidential Press Office/Handout via Getty Images

Durante visita surpresa a Kiev, na Ucrânia, neste domingo (1/5), a presidente da Câmara de Representante dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, se reuniu com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky e declarou total apoio à Ucrânia. Pelosi é a primeira representante internacional de alto escalão a visitar o país de Zelensky desde a invasão russa.

Durante uma coletiva, ela foi questionada se o país governado por Biden está preocupado com a reação russa ao apoio americano dado à Ucrânia. Pelosi, que também visita o sudeste da Polônia e Varsóvia ao lado de uma delegação americana, respondeu que o governo norte-americano está preparado para dar ao país ucraniano todo o apoio necessário para acabar com a guerra.

“Deixe-me falar por mim. Não se deixe intimidar por valentões. Se estão te ameaçando, não recue”, disse a representante americana.

0

Em entrevista ao The Guardian, o congressista Jim McGovern, que acompanha Pelosi durante visita aos países europeus, afirmou que Putin deve ser responsabilizado pelas “linhas que cruzou”.

“Putin atacou hospitais e se envolveu em assassinatos em massa que foram documentados. A questão é se vamos responsabilizá-lo por seus crimes de guerra. Porque se não o fizermos, a probabilidade de ele ou outra pessoa fazer a mesma coisa aumenta”, comentou McGovern.

Durante a visita, Pelosi foi presenteada com a medalha da Ordem da Princesa de Olga por Zelensky, segundo ele por fortalecer os laços ucranianos e americanos, e agradeceu o apoio dos EUA no twitter.

Além de elogiar a liderança de Zelensky,  a representante americana afirmou, a um jornalista do The Guardian, que os EUA doaram US$ 13,6 bilhões para ajudar a Ucrânia e que isso “deixa os americanos orgulhosos”. Além disso, disse ainda que está em tramitação no parlamento norte-americano um projeto de lei que destinaria 33 bilhões de libras para o país ucraniano.

Mais lidas
Últimas notícias