Vídeo: entenda o atrito entre EUA e China por visita de Pelosi a Taiwan

A ida da representante dos EUA à ilha é vista como uma "provocação" por autoridades chinesas, que decidiram monitorar o voo de Pelosi

atualizado 02/08/2022 12:23

Nancy PelosiDrew Angerer / Equipe

A visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a Taiwan virou motivo de uma série de ameaças da China aos norte-americanos. A porta-voz está em viagem à Ásia e pousou na ilha na manhã desta terça-feira (2/8).

O atrito ocorre porque a China considera Taiwan como parte de seu território e condena qualquer contato de autoridades ou tentativas de reconhecimento da autonomia da ilha. Para os chineses, a viagem de Pelosi é uma “provocação”.

Entenda o conflito:

 

“Os EUA assumirão a responsabilidade e pagarão o preço por minar os interesses soberanos de segurança da China”, afirmou Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

Nessa segunda-feira (1º/8), John Kirby, coordenador de comunicação do Conselho de Segurança Nacional dos EUA respondeu às provocações.

“Não há motivo para Pequim transformar uma visitar em potencial, consistente com a política de longa data dos EUA, em algum tipo de crise ou conflito, ou usá-la como pretexto para aumentar atividade militar no Estreito de Taiwan ou ao redor”, declarou. “Nós não vamos morder a isca, ou nos envolver em demonstrações de força. Mas, ao mesmo tempo, não vamos nos intimidar.”

Nesta terça-feira (2/8), a China voltou a elevar o tom das ameaças. “A China adotará contramedidas firmes e decisivas para defender sua soberania e integridade territorial”, disse Zhao Lijian, outro porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Pequim. “Sobre quais medidas, se ela se atrever a ir, vamos esperar para ver.” Ele afirmou ainda que o país não assisitirá a ação de “braços cruzados”.

Pelosi é a primeira presidente da Câmara dos EUA a visitar Taiwan em 25 anos.

Monitoramento

Em meio à tensão sobre a viagem, o governo chinês anunciou, nesta terça-feira (2/8), que monitorava o voo que transportou Pelosi.

A aeronave saiu da Malásia, mas não apontava um destino final. A parlamentar realiza visitas a países asiáticos durante a semana. Com a aproximação do território de Taiwan, o exército chinês instalou aviões de guerra para sobrevoar a região.

Mais lidas
Últimas notícias