Vacina contra Covid-19 no Reino Unido vai priorizar idosos acima de 80 anos

O primeiro-ministro Boris Johnson afirmou ser "certo" que a vida possa começar a voltar ao normal em 2021

atualizado 02/12/2020 15:09

Reprodução/Instagram

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, confirmou nesta quarta-feira (2/12) o início da imunização contra o coronavírus no país. Ele afirmou que levará alguns meses para que todos tomem a vacina, mas mostrou otimismo de que tudo volte ao normal no próximo ano.

“Levará, inevitavelmente, alguns meses até que todos os mais vulneráveis ​​estejam protegidos – meses longos e frios. Portanto, é ainda mais vital que, ao celebrarmos essa conquista científica, não nos deixemos cair na crença ingênua de que a luta acabou”, anunciou em entrevista coletiva.

Apesar do alerta contra o excesso de otimismo, Boris Johnson disse que agora é “certo” que a vida pode começar a voltar ao normal em 2021. Mas, segundo ele, uma combinação de testes comunitários, vacinas e medidas de distanciamento social ainda são necessárias.

“Ao fazermos tudo isso, não estamos mais descansando na mera esperança de que possamos voltar ao normal no próximo ano, na primavera, mas, sim, no conhecimento certo e seguro de que teremos sucesso e juntos recuperaremos nossas vidas e todas as coisas sobre nossa vidas que amamos”, afirmou.

Grupos prioritários

As primeiras doses da vacina contra o coronavírus serão dadas a pacientes em 50 centros de hospitais na próxima semana, informou Simon Stevens, chefe do serviço de saúde pública no país.

De acordo com Stevens, pessoas com mais de 80 anos e trabalhadores da linha de frente no combate ao vírus poderão receber as primeiras doses da vacina Pfizer em hospitais.

“Ao longo dos dias, vamos estender para muito mais pessoas em todo o país. Em dezembro vamos começar com uma parte menor, mas há outros grupos a serem vacinados entre janeiro a março e outros de fevereiro a abril”, disse.

Últimas notícias