*
 

Um atirador abriu fogo em um bar de música country em Thousand Oaks, na Califórnia, na noite de quarta-feira (7/11), deixando ao menos 12 mortos, informou o gabinete do xerife local, acrescentando que o agressor foi abatido.

O sargento Eric Buchow, do gabinete do condado de Ventura, disse à afiliada da rede CBS em Los Angeles que há “vários mortos” no tiroteio – incluindo um membro do gabinete do xerife – e que o atirador foi abatido dentro do estabelecimento.

Thousand Oaks é um subúrbio nobre e tranquilo de Los Angeles, onde havia sido organizado um evento para estudantes universitários. O capitão Garo Kuredjian, do gabinete do xerife, disse que a estimativa é de que centenas de pessoas estivessem no Borderline Bar & Grill, que se descreve como o “maior recinto para dançar música country e ouvir artistas ao vivo” da região, no momento do ataque.

Uma testemunha que não foi identificada contou ao jornal Los Angeles Times que alguém correu para dentro do bar por volta das 23h30 (5h30 de quinta-feira, em Brasília) e começou a disparar com o que pareceu ser uma pistola. “Atirou muito, pelo menos 30 vezes. Continuei ouvindo disparos depois que todos saíram”, disse a testemunha citada pelo jornal.

Várias pessoas que presenciaram o ataque relataram ter visto fumaça no local, possivelmente de granadas lançadas pelo atirador, e disseram que muitos que estavam dentro do bar usaram cadeiras para quebrar as janelas e escapar do local.

“Foi um momento de pânico total. Todo mundo correu e se abaixou o mais rápido possível”, descreveu Teylor Whittler, de 19 anos, que estava no bar no momento em que o ataque começou. Teylor disse que fugiu pela porta dos fundos do bar.

Rochelle Hammons, de 24 anos, disse ao jornal The Washington Post que ouviu quatro disparos antes de conseguir fugir. “Do nada, ouvi os barulhos, sabe, ‘bang, bang, bang, bang’. Todo mundo que estava perto de mim se abaixou e procurou abrigo”, disse a jovem.

A gravidade dos ferimentos das vítimas ainda não foi informada. Equipes de emergência foram encaminhadas ao local e autoridades pedem que população evite a região.