TikTok: executivo é afastado por não acreditar em licença-maternidade

Joshua Ma foi afastado de suas funções de líder após declaração e matéria de denúncia publicada pelo jornal Financial Times

atualizado 09/06/2022 13:20

Celular com app TikTok aberto sob mesa branca - Metrópoles Hello I'm Nik/Unsplash

O executivo do TikTok Joshua Ma se envolveu em uma polêmica com funcionários da empresa no Reino Unido e foi afastado de seu cargo. De acordo com o jornal Financial Times, Joshua foi substituído do cargo depois de fazer comentários de que “não acreditava” em licença-maternidade.

Joshua Ma é executivo sênior da ByteDance da China – proprietária do aplicativo de vídeo viral. Segundo e-mail ao qual o Financial Times disse ter tido acesso, Joshua vai “tirar uma folga” e “recuar” de seu papel de líder da equipe de comércio eletrônico do Reino Unido.

A medida ocorre após publicação do jornal londrino, que revelou os comentários de Ma em um jantar com funcionários da equipe de comércio eletrônico do TikTok em Londres. No e-mail para a equipe, o TikTok disse que estava continuando uma investigação sobre as alegações.

“Como você deve saber, o Financial Times publicou hoje um artigo com algumas alegações desanimadoras sobre nossas operações da loja TikTok no Reino Unido”, dizia o e-mail para a equipe sob o título “Manter uma cultura de trabalho positiva”.

“Esperamos que essa experiência dolorosa nos torne uma equipe mais forte, mais próxima e melhor a longo prazo”, dizia o e-mail.

Denúncia

A reportagem do Financial Times se baseou em depoimentos de funcionários e ex-funcionários da empresa atuais. Eles se queixaram de uma cultura empresarial agressiva, com metas e expectativas irreais que contrariam as práticas de trabalho britânicas.

Os empregados relataram trabalhar mais de 12 horas por dia, começando cedo para atender chamadas com a China e encerrando o trabalho tarde, pois as transmissões ao vivo eram mais bem-sucedidas à noite. Alguns membros da equipe tiveram que deixar as contas de clientes após tirarem férias.

Mais lidas
Últimas notícias