Texas: menina se cobriu com sangue de amigo para sobreviver a massacre

Criança se fingiu de morta durante ataque de atirador para sobreviver na Robb Elementary School, da cidade texana de Uvalde

atualizado 27/05/2022 22:46

robb elementary school na cidade de uvalde texasJordan Vonderhaar/Getty Images

A menina Miah Cerrillo, de 11 anos, foi uma das sobreviventes do massacre que ocorreu na Robb Elementary School, escola primária na cidade texana de Uvalde (EUA). Ela contou que, para sobreviver, precisou passar no rosto o sangue de um colega que morreu ao seu lado e se fingir de morta.

O relato foi feito em entrevista à CNN estadunidense. A menina relatou o ataque feito pelo jovem Salvador Ramos, de 18 anos, em detalhes. Miah não consegue dormir, está perdendo os cabelos intensamente e tem muito medo de conversar com homens, depois de todo o trauma pelo qual passou.

O massacre vitimou 19 crianças e duas professoras, na última terça-feira (24/5). Antes do tiroteio, Ramos atirou também contra a avó antes de sair de casa e anunciou o plano no Facebook.

Durante a entrevista, Miah contou que a turma dela via TV com duas professoras dentro da sala, quando uma delas foi até a porta e foi surpreendida pelo atirador, que a cumprimentou e atirou nela. Logo depois, ele abriu fogo também contra a outra docente e contra as crianças.

A menina foi atingida por estilhaços e viu Ramos sair para outra sala. Temendo o retorno do jovem, enquanto ouvia mais tiros e gritos, ela passou sangue de um colega que morreu ao seu lado pelo rosto e usou um telefone para ligar, junto a outros alunos, para a polícia. Ela se fingiu de morta, imóvel, até o fim do ataque.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias