Regime de Putin aumenta censura para impedir cobertura da guerra

O Ministério da Justiça da Rússia e o órgão regulador de mídia russo Roskomnadzor restringiram o conteúdo de publicações

atualizado 28/03/2022 22:51

Centro da capital Kiev, Ucrânia, é cercada sob perigo de invasão da Rússia com barras de ferro e sacos de areia - MetrópolesEmin Sansar/Anadolu Agency via Getty Images)Emin Sansar/Anadolu Agency via Getty Images

A censura é uma realidade na Rússia. Porém, nos últimos dias o regime do presidente Vladimir Putin tem aumentado o nível de restrições contra a imprensa profissional. O objetivo é achatar a já combalida cobertura da guerra na Ucrânia.

O cerceamento tem afetado o funcionamento de jornais e profissionais de imprensa estão deixando o país. O Ministério da Justiça da Rússia e o órgão regulador de mídia russo Roskomnadzor restringiram o conteúdo do jornal alemão Bild e da rede de comunicação pública alemã Deutsche Welle — parceira do Metrópoles.

O governo russo classificou os veículos de comunicação como “agentes estrangeiros”. Na prática, o rótulo cerceia a atuação de meios de imprensa no país.

A punição obriga os veículos a indicar o rótulo em todas as publicações e apresentar demonstrativos financeiros e relatórios de atividades ao governo russo.

O diretor da Deutsche Welle para Rússia, Ucrânia e Europa Oriental, Christian Trippe, reclamou do cerceamento, mas garantiu a continuidade dos trabalhos.

“Nós, jornalistas, continuaremos a fazer o nosso trabalho e fornecer informações confiáveis para nosso público-alvo na Rússia”, informou em comunicado.

Jornal suspenso

O jornal independente Novaya Gazeta suspendeu a circulação até o fim da guerra na Ucrânia. Antes, a publicação sofreu dois alertas do governo russo.

“Recebemos outro aviso do Roskomnadzor. Depois disso, estamos suspendendo a publicação no site, em formato digital e impresso, até o fim da ‘operação especial no território da Ucrânia’”, disse o conselho editorial do Novaya Gazeta em nota.

O recrudescimento da censura ocorre após entrevista do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, à imprensa russa. A reprodução foi “desaconselhada”.

Por outro lado, coletivo de jornalistas ucranianos afirma que o governo tem criminalizado jornalistas, os responsabilizando pelos recentes ataques russos que atingiram pontos estratégicos do país.

0

 

Negociações de paz

Nesta terça-feira (29/3), representantes russos e ucranianos se reúnem em Istambul, na Turquia, para negociar um possível acordo de paz. O encontro ocorreria nessa segunda-feira (28/3), mas a delegação russa não chegou a tempo.

Tropas russas controlam a parte norte de Kiev, capital ucraniana e coração do poder. A informação foi confirmada por Zelensky.

“As tropas russas controlam o norte de Kiev, têm recursos e mão de obra. Eles estão tentando restaurar as unidades destruídas”, admitiu em pronunciamento.

O líder ucraniano afirmou que Chernihiv, Sumy, regiões de Kharkiv e Donbas, no sul da Ucrânia, vivem uma situação “tensa , muito difícil”.

Mais lidas
Últimas notícias