Protestos em Cuba suscitam fake news “politizadas” no Brasil

Especialista lista notícias falsas que viralizaram sobre os protestos em Cuba e foram utilizadas politicamente por aqui

atualizado 17/07/2021 17:35

Getty Images

Há cerca de uma semana, parte da população cubana saiu às ruas para protestar contra o regime comunista no país e as condições que o país vive perante a pandemia da Covid-19. As manifestações lá no Caribe suscitaram o velho debate sobre a “ameaça comunista no Brasil” — que já foi tratado, inclusive, em um A Semana em Fakes — e resultaram em fake news por aqui. Nesta semana, o Boatos.org desmentiu três dessas histórias. Também conseguimos perceber uma história falsa que voltou a circular em redes sociais por aqui.

Assim que a informação sobre protestos em Cuba eclodiram, começou a circular na internet um suposto breaking news apontando que o ex-presidente Raúl Castro (irmão de Fidel Castro) teria fugido para a Venezuela. A informação não só não procedia como também teve uma versão que nem chegou a ser desmentida no Boatos.org: de que ele, junto com a família Castro, teria fugido para Espanha.

Alguns dias depois, supostos vídeos com cenas de violência circularam como se fossem dos protestos em Cuba. Em um deles, policiais eram cercados por manifestantes e tinham uma viatura depredada. Em outro, policiais atiravam a sangue frio em manifestantes. Só havia um detalhe: nenhum dos vídeos eram sobre protestos em Cuba.

A primeira das filmagens era, na realidade, de manifestações no Chile em 2019. A segunda sequer retratava uma situação real. Trata-se de um vídeo gravado em de um treinamento de policiais indianos com voluntários na Índia. Ou seja: nada tinha a ver com as manifestações dos últimos dias.

Por fim, um áudio e uma mensagem que viralizaram durante a campanha eleitoral de 2018 voltaram a circulam. Trata-se de uma música de título “Levanta-se Capitão” em homenagem a Bolsonaro e falsamente atribuída “artistas cubanos”. Novamente, trata-se de uma informação falsa: a música era, na realidade, de um venezuelano que mora no Brasil.

Essa onda (ou marola) de boatos sobre Cuba mostra, novamente, que (ao contrário de outrora) há um movimento de enfraquecimento de notícias falsas com temas que remetam à pandemia. Há duas hipóteses para isso: 1) Até quem inventa ou consome fake news está cansado da pandemia. 2) A campanha eleitoral para 2022 está mais próxima do que muitos imaginam.

Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos sete dias foram, em ordem crescente, Mercado LivreCubaCoronavac, BolsonaroDr DelanoDr. DelanoCovid deltaAtacadãoDelanoDr delano.

Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos 7 dias foram, em ordem crescente, sobre uma suposta promoção de Dia dos Pais do Mercado Livre, sobre um suposto Auxílio Cesta Básica por parte do governo, sobre a “Lei do voto impresso” estar valendo, sobre o “teste de anticorpos mostrar que a Coronavac não protege contra Covid-19” e sobre Bolsonaro “revelar um esquema de José Dirceu, Barroso e TSE nas eleições de 2018”.

No Twitter, no Instagram e no Telegram, o conteúdo com o maior engajamento era o que desmentia que Bolsonaro havia denunciado a anulação de votos nas eleições em 2018. No Facebook a matéria mais compartilhada era a que apontava que a lei do voto impresso já existia desde 2002. Por fim, vídeo mais visto no YouTube foi o que desmentia a promoção falsa em nome do Mercado Livre.

Edgard Matsuki é editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Uma das novidades do Boatos.org para 2021 é a seção “A Semana em Fakes”. Periodicamente, faremos análises sobre os assuntos mais recorrentes em termos de desinformação na internet. Este conteúdo ficará aberto para republicação em outros veículos de mídia. No momento, publicamos o conteúdo no Portal Metrópoles, Portal T5 e Conexão Marília (caso tenha interesse, entre em contato com o Boatos.org para saber as condições). Para ver todos os textos da seção, clique aqui.

Últimas notícias