Premiê da Finlândia é flagrada em festa e passa por exame de drogas

Imagens de Sanna Marin foram publicadas em uma rede social e mostram a primeira-ministra dançando ao lado de influenciadores e artistas

atualizado 19/08/2022 20:04

Sana MarinReprodução

A primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, teve que passar por um exame toxicológico após vazar na internet vídeos privados em que ela dança em uma festa com amigos. As imagens foram publicadas em uma rede social e mostram a premiê, de 36 anos, festejando com influenciadores e artistas finlandeses.

Os vídeos geraram uma série de críticas à líder do governo e fez com que políticos de oposição pedissem que ela passasse pelo exame. Após a repercussão, Marin se pronunciou em uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (19/8).

“Nos últimos dias, foram feitas acusações públicas bastante graves de que eu estava em um espaço onde drogas eram usadas, ou que eu mesma usava drogas”, afirmou a primeira-ministra.

“Considero muito graves essas acusações e, embora ache injusta a exigência de exame, para minha própria proteção legal e para esclarecer dúvidas, fiz hoje um teste, cujos resultados sairão em cerca de uma semana”, acrescentou ela.

Marin, que é a líder de governo mais jovem do mundo, ainda disse que nunca usou drogas e não viu outras pessoas consumindo entorpecentes na festa.

“Estou decepcionada que esse vídeo tenha se tornado público. Eu passei a noite com amigos, fazendo festa, sim. Dancei e cantei. Mas não tenho motivos para me drogar, ou nada além de álcool. Fiz coisas perfeitamente legais, nada a esconder”, declarou.

Veja as imagens:

 

As imagens da premiê viralizaram no momento em que a Europa passa por grande tensão causada pela guerra entre Rússia e Ucrânia. Críticos questionam se os festejos podem atrapalhar caso a Finlândia precise agir rapidamente em um contexto de crise.

O país divide fronteira com a Rússia e solicitou ingresso na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) após a invasão na Ucrânia.

À imprensa local, Marin assegurou que as forças armadas estão preparadas para antecipar qualquer crise militar que venha a surgir no país.

Mais lidas
Últimas notícias