Morales convida Brasil e outros países para auditoria em eleição

Presidente teria garantido reeleição com 47,08% dos votos, enquanto seu principal rival, o ex-presidente Carlos Mesa, tinha 36,51%

Divulgação

atualizado 26/10/2019 21:29

O presidente da Bolívia, Evo Morales, usou as redes sociais neste sábado (26/10/2019) para desafiar seus opositores a provar que houve fraude em sua reeleição em primeiro turno ao afirmar que uma auditoria internacional seria bem-vinda. Autoridades eleitorais afirmam que Morales venceu com uma diferença de poucos votos, mas o suficiente para evitar um segundo turno em dezembro, o que acabou unindo seus oponentes contra ele.

“Escutamos as posições dos ministérios das Relações Exteriores da #Colômbia, #Argentina, #Brasil e #EUA. Convido a esses e outros países a participarem da auditoria que propusemos. Que se revise todas as atas. Se na conclusão do processo a fraude for comprovada, partimos para um segundo turno”, escreveu Morales em sua conta oficial no Twitter.

Veja:

A Organização dos Estados Americanos (OEA), a União Europeia e alguns países vizinhos dizem que o resultado foi tão apertado que a melhor solução seria realizar um segundo turno. Nessa sexta-feira (25/10/2019), o Ministério das Relações Exteriores do Brasil afirmou que não reconheceria “neste momento” o resultado final das eleições presidenciais na Bolívia, cuja contagem de votos aponta vitória em primeiro turno de Evo Morales.

Horas antes na sexta, a sala plena do Tribunal Supremo Eleitoral da Bolívia havia informado a finalização da contagem oficial das eleições presidenciais. Com todas as atas apuradas, Morales tinha 47,08% dos votos, enquanto seu principal rival, o ex-presidente Carlos Mesa, tinha 36,51%. Com isso, Morales seria reeleito em primeiro turno.

Últimas notícias