Bolsonaro “some” por duas horas para “relaxar” em Washington

Auxiliares disseram que ele estava em "agenda privada". "Coisa que não pode fazer no Brasil", afirmaram

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 18/03/2019 18:16

Enquanto seus ministros cumpriam agendas individuais em Washington (EUA), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) seguiu para compromisso extraoficial em visita à capital norte-americana. Bolsonaro deixou a sede da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) e, segundo um dos auxiliares presidenciais, tirou o período para poder relaxar, “coisa que não pode fazer no Brasil”. As informações são do jornal O Globo.

O presidente deixou a sede da agência norte-americana por volta das 10h desta segunda (18/3), horário local, acompanhado de seguranças. Seu destino não foi informado pela assessoria.

Auxiliares mais próximos afirmaram que ele estava em “agenda privada”. O presidente retornou à Blair House, onde está hospedado, cerca de duas horas depois e a equipe do governo informou apenas o momento da chegada.

A ida de Bolsonaro à CIA também não constava da agenda oficial divulgada pelo governo brasileiro. A visita surpresa foi comunicada via Twitter por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente e deputado federal, que o acompanha na comitiva presidencial.

Ministros e agendas
Enquanto Bolsonaro “desapareceu”, os ministros da Justiça, Sergio Moro, da Agricultura, Tereza Cristina, e da Economia, Paulo Guedes, cumpriram suas próprias agendas em Washington.

Eduardo Bolsonaro, acompanhado do assessor para Assuntos Internacionais da Presidência, Filipe Martins, esteve na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA). Depois, ambos foram fazer compras de suplementos alimentares antes de voltar para a Blair House.

Últimas notícias