Argentina: esquerda retoma poder com eleição de Alberto Fernández

Com 79% dos votos apurados, opositor obtinha 47,5% dos votos, suficiente para ser eleito em primeiro turno. Mauricio Macri alcança 41%

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 27/10/2019 22:13

O peronista Alberto Fernández foi eleito neste domingo (27/10/2019) presidente da Argentina, tendo como vice a ex-presidente Cristina Kirchner, mentora da chapa que devolve o poder à esquerda após quatro anos. São informações do Estadão.

Segundo projeção com base nos primeiros números oficiais, com 79% dos votos apurados ele obtinha 47,5% dos votos, suficiente para ser eleito em primeiro turno. O presidente Mauricio Macri, que buscava a reeleição, alcança 41%.

Um dos planos de Fernández para estancar a crise econômica é um congelamento de preços por 180 dias e garantir um aumento salarial de emergência – a inflação acumulada no último ano está perto de 60%.

Imunidade a Kirchner
A eleição garante a Cristina uma cadeira no Senado, o que também assegura a ela imunidade parlamentar. A ex-presidente enfrenta uma série de acusações de corrupção.

O partido de Macri manteve o controle da capital, com a reeleição de Horacio Rodríguez Larreta.

Na Província de Buenos Aires, onde o ex-ministro da Economia de Cristina, Axel Kicillof, foi eleito com folga, em uma derrota importante para Macri. Os argentinos renovaram ainda 130 dos 257 deputados e 24 dos 72 senadores.

Últimas notícias