Argentina: juiz manda Cristina Kirchner a julgamento por corrupção

Ex-presidente é acusada de chefiar associação ilícita durante seu mandato para cobrar subornos de empresários

Presidência da ArgentinaPresidência da Argentina

atualizado 20/09/2019 22:23

O juiz federal Claudio Bonadío, que tem levado adiante a maioria das investigação que envolvem a ex-presidente Cristina Kirchner por suposta corrupção, deu por finalizada sua apuração e pediu nesta sexta-feira (20/09/2019) formalmente que ela seja julgada como suposta chefe de uma associação ilícita durante seu mandato para cobrar subornos de empresários em troca de benefícios em contratos públicos.

O magistrado firmou a resolução sobre o tema pouco mais de um mês antes da eleição presidencial de 27 de outubro, na qual Cristina aparecerá como vice de Alberto Fernández, o candidato favorito à Presidência da Argentina.

Perseguição
Cristina, de 66 anos, já é julgada desde junho por supostamente favorecer um empresário na licitação de obras públicas. Ela nega as acusações e afirmou que é vítima de perseguição por parte do magistrado.

Não há ainda data para o novo julgamento. É preciso, porém, que dois terços dos senadores votem para que ela perca sua imunidade judicial.

Senadora atualmente, Cristina também enfrenta acusações de lavagem de dinheiro, administração fraudulenta e suposto acobertamento dos responsáveis pelo ataque terrorista contra uma entidade mutual judaica de Buenos Aires em 1994, além de sofrer outras investigações judiciais.

Últimas notícias