metropoles.com

Ocidente promete enviar nova leva de armas militares para a Ucrânia

O conselheiro do presidente da Ucrânia afirma que os tanques são a “chave para acabar com a guerra” e é a hora de parar de tremer Putin

atualizado

Compartilhar notícia

Joel Thungren/Swedish Armed Forces
Foto colorida de dois tanques de guerra em um campo verde - Metrópoles
1 de 1 Foto colorida de dois tanques de guerra em um campo verde - Metrópoles - Foto: Joel Thungren/Swedish Armed Forces

Em reunião realizada nesta quinta-feira (19/1), ministros da Defesa da Estônia, Reino Unido, Polônia, Letônia e Lituânia junto com os representantes da Dinamarca, República Tcheca, Holanda e Eslováquia reafirmaram apoio à Ucrânia “contra a agressão russa ilegal”. Eles decidiram enviar um nova leva de armamento militar e oferecer investimento monetário para dar fim à guerra que assola o país a quase um ano.

O conselheiro do presidente da Ucrânia, Mykhailo Podolyak, disse que o país precisa no momento de tanques. “Tanques – a chave para acabar com a guerra corretamente”, escreveu. Para ele, agora é a “hora de parar de tremer [o presidente Vladimir] Putin e dar o passo final.”

A defesa britânica enviará 600 mísseis Brimstone, tanques Challenger 2, canhões autopropulsados ​​AS90 e centenas de veículos blindados. Além disso, os britânicos pretendem treinar 20 mil soldados ucranianos. O Reino Unido também coordena um Fundo Internacional para a Ucrânia, que, até o momento, levantou quase £ 600 milhões (cerca de R$ 3,8 bilhões).

Já a Dinamarca deve continuar oferecendo apoio militar “de acordo com as necessidades ucranianas”. Nos próximos dias, o país deve doar 19 obuses Caesar, de fabricação francesa, à Ucrânia. Já a Suécia prometeu enviar o sistema de artilharia Archer, um moderno obus móvel solicitado por Kyiv há meses.

Saiba qual é o novo pacote de armas enviados à Ucrânia:

Os tchecos continuarão enviando material militar. Em comunicado oficial, afirmam que pretendem aumentar a capacidade de produção armamentista, especialmente na produção de munição de grande calibre.

Em 2023, a Letrônia pretende treinar cerca de 2 mil soldados ucranianos. Além de enviar reforços de defesa aérea, como o sistema Stinger e dois helicópteros M-17. O novo pacote polonês consiste em armas antiaéreas S-60 com 70 mil peças de munição. A Polônia também deve doar uma companhia de tanques Leopard com mil munições.

A Lituânia enviará dezenas de canhões antiaéreos L-70 com dezenas de milhares de munições e dois helicópteros Mi-8. O país depositará 2 milhões de euros, cerca de R$ 11 milhões, no Fundo Internacional coordenado pelo Reino Unido.

O governo estoniano enviará dezenas de obuses de 155 mm FH-70 e 122 mm D-30, milhares de cartuchos de munição de artilharia de 155 mm, veículos de apoio para unidades de artilharia, centenas de lançadores de granadas antitanque Carl-Gustaf M2.

Além de continuar fornecendo armamento militar, a Eslováquia assumirá o papel de “negociante” com outros aliados para enxergar as possibilidades de mais equipamentos para doações à Ucrânia.

 

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações