*
 

Um navio militar dos Estados Unidos chamado Trenton salvou 40 imigrantes na costa líbia e recuperou 12 cadáveres do mar. No entanto, sem câmaras especiais para os corpos, o barco precisou jogar novamente os mortos nas águas, no cemitério que o Mar Mediterrâneo se tornou.

O resgate ocorreu na quarta-feira (13/6) e, de acordo com fontes locais, trata-se da primeira intervenção de um navio dos Estados Unidos em casos de naufrágios de embarcações com imigrantes. O Trenton ficou mais de 24 horas tentando transferir os 40 sobreviventes para o navio Sea Watch, mantido por uma ONG alemã disposta a resgatar imigrantes no Mediterrâneo.

Porém, como a ONG não tem certeza se conseguirá autorização para desembarcar em algum porto – depois da Itália recusar no fim de semana a entrada de um barco com 600 imigrantes em seu território –, o Trenton partiu com os 40 sobreviventes.

“Nós nos aproximamos deles, que vieram ao nosso encontro, e por 24 horas ficamos assim”, disse Federica Mameli, uma colaboradora da Sea Watch. “Nós estávamos dispostos a fazer a transferência, mas queríamos antes a definição de um porto seguro, de preferência mais perto. Isso não ocorreu e, ontem à noite, o barco norte-americano se afastou e perdemos contato”, relatou.

De acordo com a Marinha dos EUA, a tripulação do Trenton está cuidando das 40 pessoas socorridas. “Estamos em contato com nossos parceiros internacionais para decidir o destino das pessoas a bordo”, informou.