Mulher denuncia roubo de diamante de 45 milhões de euros em Paris

Marie-Madeleine Dioubaté, ex-candidata à Presidência de Guiné, diz ter sido enganada por dois ladrões que se passaram por russos

atualizado 23/05/2019 13:29

FLICKR/MACROSCOPIC SOLUTIONS

Uma ex-candidata à Presidência de Guiné apresentou uma denúncia na França pelo roubo de um diamante, que ela diz ser avaliado em 45 milhões de euros, em um hotel de luxo de Paris, informaram fontes policiais nesta quinta-feira (23/05/2019).

Dois homens que se fizeram passar por russos se reuniram na segunda-feira no Hotel Warwick com Marie-Madeleine Dioubaté, ex-candidata ecologista à presidência de Guiné, para avaliar a pedra preciosa.

Os dois homens e a mulher conversaram no bar e o que se apresentou como especialista examinou a pedra preciosa antes de devolvê-la.

Após a análise, os homens entregaram um documento no qual certificavam que a pedra valia 45 milhões de euros, afirmou uma fonte policial. Mas sem que ela percebesse, durante a avaliação os dois supostos especialistas substituíram o verdadeiro diamante por uma cópia.

Quando a vítima percebeu, dois dias depois, os dois homens já estavam longe. Marie-Madeleine Dioubaté apresentou uma denúncia à justiça.

Ao falar sobre o valor real do diamante, uma fonte policial disse que “no momento tudo se resume a afirmações”. Marie-Madeleine Dioubaté, do Partido Ecologista de Guiné, foi a única mulher candidata à presidência no pleito de 2015, vencido pelo presidente Alpha Condé.

Mais lidas
Últimas notícias