Uma espécie de tartaruga está a um passo da extinção definitiva. Após a morte de uma fêmea no zoológico da China, restam apenas três exemplares da tartaruga de casco mole do rio Yangtze.

A morte ocorreu após uma tentativa frustrada de inseminação artificial, de acordo com a imprensa chinesa. A tartaruga tinha, pelo menos, 90 anos e vivia no zoológico da cidade de Suzhou, na região de Xangai.

A instituição tentou realizar a inseminação como última oportunidade para salvar a espécie. O macho doador do sêmen tem mais de 100 anos.

Durante anos, os responsáveis pelos animais no local tentaram fazer os dois acasalarem, mas não houve sucesso. Além do sobrevivente em cativeiro, há registro de apenas dois exemplares no mundo. Não se sabe o gênero deles e os animais vivem em habitat natural, no Vietnã.

Será realizada necropsia para investigar a causa da morte.

O nome científico da tartaruga é Rafetus swinhoei e a espécie recebeu o nome de batismo por conta do rio Yangtzé e do lago Taihu. A possibilidade de extinção é atribuída à exploração dos recursos florestais, à degradação do habitat aquático e à caça e pesca.