Mudança climática tornou onda de calor na Ásia 30 vezes mais provável

Desde março, as populações de Índia e Paquistão enfrentam temperaturas extremas. Termômetros chegam a ultrapassar 50°C

atualizado 25/05/2022 16:52

mulher se protege do calor na area central de Brasilia Igo Estrela/Metrópoles

Desde março, as populações da Índia e do Paquistão enfrentam ondas de calor extremo, com temperaturas que chegam a ultrapassar 50°C. Uma análise de cientistas da organização internacional World Weather Attribution (WWA) mostra que o calor incomum nessas regiões tornou-se 30 vezes mais provável devido às mudanças climáticas.

Em 2022, os indianos vivenciaram o março mais quente já registrado na história do país — os termômetros chegaram a indicar 50°C. Ao mesmo tempo, o mês foi extremamente seco, com índice de chuvas 71% abaixo do normal. Conforme aponta o estudo, as mudanças do clima provocaram a alta temperatura prolongada e o aumento da seca.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

A pesquisa também indica que ondas de calor e secas fora de época devem se tornar ainda mais frequentes nos próximos anos, caso as metas do Acordo de Paris não sejam respeitadas e o aquecimento global ultrapasse 2°C nas décadas subsequentes.

O calor registrado em março e abril no sul asiático desencadeou problemas de abastecimento de água e energia nos países, além de derreter geleiras glaciais no Himalaia. “Mitigar ainda mais o aquecimento é essencial para evitar a perda de vidas e meios de subsistência”, destaca o estudo.

Mais lidas
Últimas notícias