Japão aumenta sanções a petróleo e oligarcas de Rússia e Belarus

País congelou ativos de 32 importantes nomes russos ou bielorussos, como autoridades ou oligarcas

atualizado 07/03/2022 23:59

Imagem ilustrativa de mapa da Eurásia, mostrando Rússia e Ucrânia com alfinetes jogados por cima, num filtro vermelho claro - MetrópolesFábio Vieira/Metrópoles

O Ministério das Finanças do Japão afirma ter congelado os ativos de 32 autoridades da Rússia e de Belarus, com oligarcas – multibilionários russos – inclusos. A medida faz parte de nova ofensiva do país contra Vladimir Putin, em esforço para minar o poder econômico que financia a guerra da Ucrânia.

O governo japonês também informou ter suspendido a exportação de máquinas para refino petrolífero para a Rússia. O país não comercializará itens de uso militar para o mercado de Belarus.

Os nomes dos alvos das novas sanções não foram divulgados.

Países ao redor do globo avaliam regramentos mais severos contra Putin. Com o temor de que os países do Oeste proíbam a compra de petróleo russo, o vice-primeiro-ministro do país, Alexander Novak, afirmou que a medida teria “consequências catastróficas para o mercado global”. Entre elas, a alta do barril de petróleo para US$ 300 (cerca de R$ 1.517).

Estados Unidos e União Europeia avaliam restringir a compra do combustível da Rússia. Jen Psaki, secretária de Imprensa da Casa Branca, confirmou que os Estados Unidos pretendem negociar a importação de petróleo proveniente da Venezuela, como forma de isolar a Rússia.

Mais lidas
Últimas notícias