metropoles.com

Israel pede que israelenses deixem a Turquia “o mais rápido possível”

O Gabinete de Segurança Nacional de Israel emitiu nota classificando a Turquia como país de risco elevado devido ao conflito com o Hamas

atualizado

Compartilhar notícia

Ilia Yefimovich/picture alliance via Getty Images
Fumaça é vista na Faixa de Gaza enquanto os combates entre as tropas israelenses e os militantes islâmicos do Hamas - Metrópoles
1 de 1 Fumaça é vista na Faixa de Gaza enquanto os combates entre as tropas israelenses e os militantes islâmicos do Hamas - Metrópoles - Foto: Ilia Yefimovich/picture alliance via Getty Images

O Gabinete de Segurança Nacional do Estado de Israel (GSN) emitiu nota, nesta terça-feira (17/10), pedindo que todos os cidadãos israelenses na Turquia deixem o país “o mais rápido possível”. O comunicado foi publicado após o bombardeio em um hospital da Faixa de Gaza, pela manhã.

Israel avalia que, devido à escalada das ameaças de terror contra israelenses e judeus no exterior, viagens para a Turquia são consideradas de mais alto grau de risco –— nível 4, de acordo com o governo. Essa recomendação se aplica a todos os israelenses em território turco, com recomendação imediata de deixar o país.

Para aqueles que ainda não deixaram a Turquia, o GSN recomenda evitar aglomerações e permanência em locais públicos; reduzir quaisquer sinais de identificação israelenses e judaicos; e evitar visitar locais associados ao judaísmo ou com ligações israelenses.

Além disso, o governo de Israel reforçou os alertas aos cidadãos para reconsiderar viagens planejadas ao exterior neste momento e evitar viagens não essenciais para países com aviso de risco elevado, com ênfase em países árabes e países vizinhos ao Irã (Jordânia, Egito, Emirados Árabes Unidos e Azerbaijão).

O texto ainda avisa que os alertas não se aplicam a estadias em países para fins de trânsito (conexões), exceto para voos em países inimigos (Síria, Líbano, Iraque, Irã e Iêmen) e em países com risco elevado (por exemplo, Líbia, Argélia, Paquistão, Afeganistão e Somália).

A GSN acrescentou que há preocupações de que, devido ao conflito, existe motivação e risco de grupos terroristas e agressores isolados para realizar ataques contra israelenses em vários países em todo o mundo. E, por fim, devido ao desenvolvimento e eventos em andamento, podem haver desafios crescentes para israelenses retornarem ao país devido à redução de voos internacionais para Israel.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações